00:31 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    6138
    Nos siga no

    Valendo-se de eleições em duas cidades do estado do Rio de Janeiro, TSE usa ocasião para rebater onda de descredibilidade no sistema eleitoral. Presidente do Tribunal, Luís Roberto Barroso, acompanhará o processo.

    Com toda polêmica levantada pelo presidente, Jair Bolsonaro, em torno da legitimidade e confiança no atual sistema eleitoral brasileiro através do sistema de urnas eletrônicas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai aproveitar as eleições suplementares marcadas para este domingo (12), em duas cidades no estado do Rio de Janeiro, para fazer uma demonstração pública da segurança das urnas eletrônicas.

     O TRE-DF (Tribunal Regional Eleitoral) realiza o teste e lacração das urnas eletrônicas que serão enviadas para votação no exterior, 19 de agosto de 2018
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O TRE-DF (Tribunal Regional Eleitoral) realiza o teste e lacração das urnas eletrônicas que serão enviadas para votação no exterior (foto de arquivo)

    O teste está a cargo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), mas contará com a presença do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, que acompanhará o processo na capital fluminense, segundo O Dia.

    "Queremos dar mais visibilidade ao processo usando a transmissão em tempo real de tudo que será feito em termos de auditoria do sistema de votação eletrônica", explicou o presidente do TRE-RJ, Cláudio Luís dell’Orto citado pela mídia.

    Os municípios nos quais ocorrerão as votações para escolher novos prefeitos são Silva Jardim e Santa Maria Madalena. Neste sábado (11), a Comissão de Auditoria da Votação Eletrônica do TRE-RJ sorteou duas urnas de cada município para realizar as provas.

    Uma delas, já concluída, usou uma urna para computar votos (simulados) registrados em papel, a fim de mostrar a eficiência do sistema eletrônico para computá-lo. Na outra prova, a urna será submetida a um teste de integridade, feito no próprio local de votação, no dia da eleição, segundo a mídia.

    As eleições fora de época acontecem porque os prefeitos eleitos em ambos os municípios não estão regulares para exercer seus mandatos. A mídia ressalta que, quando anunciou o calendário das eleições suplementares, o TRE-RJ informou que nenhum dos candidatos eleitos foi diplomado, justamente porque as candidaturas eram contestadas.

    Mais:

    TSE quer saber valores recebidos por canais bolsonaristas nas redes sociais, diz mídia
    TSE divulga nomes dos integrantes da Comissão de Transparência das Eleições; militar será membro
    Após live com Bolsonaro, Moraes solicita investigação ao TSE sobre Ministro da Justiça
    Tags:
    TSE, Luis Roberto Barroso, sistema eleitoral, eleições, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar