06:08 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    10926
    Nos siga no

    Segundo presidente, "qualquer cego" veria um superfaturamento de 1.000% e que não seria o deputado que o faria enxergar se houvesse irregularidades na compra da vacina indiana.

    Nesta sexta-feira (25), o presidente, Jair Bolsonaro, afirmou que vai abrir inquérito na Polícia Federal contra o deputado Luís Claudio Miranda (DEM-DF) que diz ter alertado pessoalmente o presidente sobre irregularidades na compra do imunizante indiano Covaxin, segundo a CNN Brasil.

    "Lógico que abrirei inquérito [contra as declarações de Miranda]. Olha a vida pregressa dele. [...] Vocês querem imputar em mim um crime de corrupção que não foi gasto um centavo. Estamos há dois anos e meio sem corrupção, a CGU [Controladoria Geral da União] funciona, vamos atrás de resolver o problema antes que ele ocorra", disse o presidente citado pela mídia.

    No dia 23, o deputado disse que teria alertado o presidente sobre evidências anormais nos trâmites do Ministério da Saúde para a compra da vacina, conforme noticiado. Luís Claudio é irmão de Luís Ricardo Miranda, que é chefe do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde.

    "No dia 20 de março fui pessoalmente, com o servidor da Saúde que é meu irmão, e levamos toda a documentação para ele [Bolsonaro]. Levei [o caso] para ele porque confio nele. Espero que ele tenha feito alguma coisa", disse o deputado.

    Hoje (25), Bolsonaro afirmou que a vacina não foi comprada e que o documento apresentado pelo deputado estava errado. "Foi comprada a vacina? Teve um documento, pelo que fiquei sabendo, que estava errado, faltava um zero lá e foi corrigido no dia seguinte", disse o presidente.

    Segundo a mídia, Bolsonaro afirmou ainda que não houve superfaturamento no contrato de compra dos imunizantes e que "qualquer cego" veria um superfaturamento de 1.000%.

    "Tem algum recibo meu pra ele? Foi consumado o ato? Foi retificado [...]. Pelo que me consta, não há nada de errado no contrato. Não foi gasto um centavo com a Covaxin, vocês que querem me julgar por corrupção, vocês vão se dar mal. Eu sou incorruptível", declarou.

    O deputado Luís Claudio e seu irmão, Luís Ricardo, serão ouvidos hoje na CPI da Covid, com o deputado prometendo comprovar o que disse através de documentos durante seu depoimento.

    Mais:

    CPI da Covid suspeita de irregularidades em empresa que receberia pagamento pela Covaxin
    Documento da Anvisa não revela nomes de participantes da reunião de compra da Covaxin
    Bolsonaro foi alertado pessoalmente sobre irregularidades nas negociações da Covaxin, diz mídia
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Polícia Federal, vacina, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar