20:23 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    121148
    Nos siga no

    Além da categorização feita sobre o Hezbollah, o deputado teria declarado que o governo brasileiro tem a intenção de mover sua embaixada para Jerusalém.

    Segundo um documento enviado à CPI da Covid sobre a visita da comitiva brasileira a Israel no dia 9 de março, que contava com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), o deputado, no encontro, sinalizou ao Parlamento israelense a vontade do governo brasileiro de transferir a Embaixada do Brasil para Jerusalém, assim como teria classificado o Hezbollah como organização terrorista, segundo o blog de Lauro Jardim em O Globo.

    Na época, a comitiva, coordenada pelo ex-chanceler Ernesto Araújo, foi encontrar com Yariv Levin, presidente do Knesset (o Parlamento de Israel), para tratar da compra do spray israelense contra a COVID-19. No entanto, após a visita, o Brasil decidiu não fazer a compra do spray, conforme noticiado em 14 de maio.

    De acordo com o documento produzido sobre a viagem pelo Itamaraty e enviado à CPI, Eduardo repetiu a promessa de Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira para a cidade de Jerusalém. O deputado teria dito que acreditava em seu anúncio, embora não haja uma data prevista, relata a mídia.

    Sobre o Hezbollah, o deputado proferiu que esperava a declaração do Brasil, em breve, classificando o grupo como entidade terrorista.

    Segundo ele, a participação brasileira na Força-Tarefa Marítima da UNIFIL, no Líbano, havia criado empecilhos para uma postura mais assertiva do país, mas com o término da mesma, há agora abertura para tratar do assunto.

    Bandeiras de Israel e do Brasil em manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro, na avenida Paulista, em São Paulo
    © Folhapress / Danilo Verpa
    Bandeiras de Israel e do Brasil em manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro, na avenida Paulista, em São Paulo

    No documento, também consta um reforço feito pelo deputado na importância da parceria Israel-Brasil e, como exemplo do novo momento das relações, Eduardo citou "a usual presença de bandeiras israelenses durante manifestações de apoio ao governo", segundo a mídia.

    Mais:

    Sem acordo: Brasil não comprará spray nasal desenvolvido por Israel
    Brasil se alia a EUA e Israel no Tribunal Penal Internacional, diz especialista
    Brasil e Israel assinam acordo de combate à corrupção e crime organizado
    Tags:
    relações exteriores, Hezbollah, Brasil, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar