20:56 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    104
    Nos siga no

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, decidiu suspender nesta terça-feira (20) três ações contra o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), por improbidade administrativa.

    As denúncias tinham sido apresentadas à Justiça Federal do Paraná como um desdobramento das investigações da Operação Lava Jato. A decisão também beneficia o ex-senador Benedito de Lira, pai do presidente da Câmara. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    A resolução de Gilmar Mendes vale até que o plenário do STF julgue a ação em definitivo. O ministro atendeu a um pedido da defesa de Arthur Lira que argumentou ao STF que, como a Segunda Turma rejeitou, em 2017, uma denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado, e há conexão entre os fatos dos dois processos, a ação de improbidade não deveria ter andamento.

    Em Brasília, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes participa de sessão solene na Câmara dos Deputados, em 1º de outubro de 2019
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    Em Brasília, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes participa de sessão solene na Câmara dos Deputados, em 1º de outubro de 2019

    Em nota, a defesa de Lira comemorou a decisão e disse que a suspensão das ações "observou preceitos legais e buscou garantir a autoridade do Supremo, a fim de que os juízos da origem não desconsiderem uma decisão já transitada em julgado".

    Gilmar Mendes afirmou que há identidade entre a denúncia rejeitada e os fatos investigados nas ações de improbidade.

    Arthur Lira e Benedito de Lira são acusados de receber mais de R$ 1,5 milhão por meio de doações eleitorais oficiais, pagamentos de despesas de campanha por intermédio de empresas de fachada e valores em espécie para, como contrapartida, apoiarem a manutenção de Paulo Roberto Costa na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

    Mais:

    Aeronave perde o controle, sai da pista e causa acidente em Belo Horizonte (VÍDEO)
    Justiça suspende medidas restritivas usadas para frear a COVID-19 no Rio de Janeiro
    Mourão desmente números de ONG, e diz que houve redução no desmatamento na Amazônia
    FHC: 'Não há razão para o impeachment de Bolsonaro'
    Brasil: Receita Federal arrecada R$ 138 bilhões em março, recorde para o mês
    Tags:
    Operação Lava Jato, corrupção, Câmara dos Deputados, improbidade, Arthur Lira, Gilmar Mendes, Supremo Tribunal Federal (STF)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar