15:26 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)
    3174
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (16), governadores brasileiros pediram "ajuda humanitária" à Organização das Nações Unidas (ONU) para a compra de vacinas contra a COVID-19 e de remédios e sedativos para o chamado kit intubação.

    Eles realizaram o pedido em nome do Fórum dos Governadores, grupo criado para traçar ações conjuntas de combate ao coronavírus, por meio de videoconferência com a secretária-geral adjunta da ONU, Amina Mohamed.

    "São 11 estados em que pacientes estão internados e faltam analgésicos, sedativos, em alguns lugares oxigênio. Ou seja, há necessidade de a ONU dar essa ajuda humanitária nessa direção", afirmou, em entrevista coletiva após a reunião, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), coordenador dos temas ligados à vacina no fórum.

    Segundo Dias, o ideal era que o governo federal se reunisse com a ONU por mais vacinas e remédios, já que tem uma estrutura diplomática.

    Porém, ele explica que, como o governo não se mobilizou neste sentido, os governadores resolveram tomar a iniciativa.

    "Desde o começo, nós colocamos claramente: 'Nós queremos o presidente da República, queremos o ministro da Saúde na coordenação nacional'. O que esperamos? O presidente da República fazer essa relação. Por que nós estamos indo à ONU? Porque o presidente da República, que era para ir, não foi. Nós estamos buscando", disse o governador.
    Em Brasília, o governador do Piauí Wellington Dias (PT), concede entrevista na chegada à residência oficial da Câmara dos Deputados, em 2 de março de 2021
    © Folhapress / Raul Spinassé
    Em Brasília, o governador do Piauí Wellington Dias (PT), concede entrevista na chegada à residência oficial da Câmara dos Deputados, em 2 de março de 2021

    Os governadores enviaram à secretária da ONU uma carta com cinco pontos para a entidade ajudar o país no combate à pandemia. O primeiro deles é que seja cumprido o cronograma do consórcio internacional COVAX Facility na distribuição de imunizantes.

    Além disso, o grupo pediu que a ONU dialogue com a União Europeia, a Índia e a China para que o Brasil tenha prioridade na entrega de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) para novas vacinas e que atue junto à AstraZeneca e ao laboratório chinês Sinovac para antecipar a produção do composto no Brasil.

    O fórum também solicitou que a ONU atue para que os Estados Unidos vendam ou emprestem as vacinas da AstraZeneca que possuem estocadas e que a entidade ajude o Brasil a obter medicamentos e sedativos utilizados para a sedação e intubação de pacientes.

    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)

    Mais:

    Ministério da Saúde anuncia que receberá 2 milhões de doses a mais de vacinas Pfizer
    COVAX busca US$ 2 bilhões em doações para a compra de vacinas
    Anvisa envia documentos ao STF e aponta incertezas e 'pontos críticos' sobre a vacina Sputnik V
    Tags:
    ajuda humanitária, carta, pedido, vacina, ONU, Brasil, governadores, pandemia, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar