18:19 14 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)
    628
    Nos siga no

    O vereador Carlos Bolsonaro acionou o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) para que sejam tomadas medidas para impedir a vigência das restrições de circulação social.

    O vereador, que também é filho do presidente da República, quer abolir os recentes decretos promulgados pelo prefeito Eduardo Paes. Segundo ele, os esforços para tentar conter o avanço da COVID-19 entram em confronto com uma das garantias da Constituição: o "direito de ir e vir das pessoas".

    Carlos apontou o fechamento de praias e a impossibilidade de realizar atividades físicas como fatores que podem ajudar no combate ao coronavírus, e estariam sendo impedidos pelos bloqueios, escreve o jornal O Globo.

    "Diante de estudos científicos pelo Brasil e pelo mundo, constatando que pessoas que se exercitam e pegam sol mantendo o bom senso ajudam no combate à COVID-19, não é plausível que prefeitos e governadores bloqueiem áreas abertas como praias e similares para atividade física e geração de empregos", afirmou Carlos Bolsonaro.

    Em seguida, ele disse que acionou "o Ministério Público como fiscal da lei para analisar o que é previsto constitucionalmente, principalmente o direito de ir e vir e de saúde das pessoas", assinalou.

    Outra alegação de Carlos Bolsonaro ao MPRJ é que Eduardo Paes não poderia intervir nas regras sobre circulação de pessoas em espaços de competência da União, como praias e faixas de areia.

    "Sendo competência da União as praias e faixas de areia, solicita este parlamentar que seja permitido o trânsito de ir e vir por pedestres em qualquer área que seja de poder da União e que não tenha restrições impostas pelo ente Federal, haja vista que o prefeito do Rio de Janeiro editou um decreto com uma série de restrições que recai sobre direito de ir e vir em áreas da União", concluiu o filho presidente Jair Bolsonaro.

    As restrições em vigor no Rio de Janeiro foram anunciadas no dia 24 de março. Além de impedir o funcionamento de diversos estabelecimentos comerciais, foi proibido o acesso às praias de todo o estado.

    Praia do Leblon lotada durante feriado de Carnaval, no Rio de Janeiro, 16 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Praia do Leblon lotada durante feriado de Carnaval, no Rio de Janeiro, 16 de fevereiro de 2021

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)

    Mais:

    Frota acusa Carlos e Eduardo Bolsonaro de envolvimento em esquema de fake news
    Filho do presidente, Carlos Bolsonaro teve 34% menos votos do que na última eleição
    Em depoimento à PF, Moro cita ligação de Carlos Bolsonaro com 'gabinete do ódio'
    Tags:
    Ministério Público, rio de janeiro, Carlos Bolsonaro, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar