09:41 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)
    270
    Nos siga no

    Grupo de 16 governadores pediu a deputados e senadores que se mobilizem para garantir um auxílio de R$ 600, mesmo valor pago nos primeiros meses em que o benefício foi distribuído em 2020. 

    Segundo medida provisória enviada pelo governo ao Congresso, serão distribuídas quatro parcelas a partir de abril, com valores entre R$ 150 e R$ 375. A maior parte dos contemplados receberá o menor valor

    Por meio de carta destinada aos parlamentares, os governadores pedem um aumento da quantia e o retorno para os mesmos critérios de acesso de 2020. Ao todo, serão beneficiadas 45,6 milhões de pessoas. No ano passado, segundo o governo, foram atendidos 67,9 milhões de cidadãos. 

    "Temos o cenário dramático de quase 300 mil vidas perdidas. Diariamente, vemos recorde de mortes, lotação de leitos hospitalares, ameaça de falta de medicamentos e esgotamento das equipes de saúde. O calendário nacional de vacinação e a obtenção de novas doses de imunizantes contra a COVID-19 estão mais lentas do que as respostas que precisamos para reverter esse quadro. Agir contra esse cenário requer medidas sanitárias e garantia de uma renda emergencial", afirmam os governadores. 

    O envio do documento foi uma articulação do movimento Renda Básica que Queremos, que reúne 300 organizações, responsável pela campanha #auxilioateofimdapandemia. Apesar de entrar em vigor após ser assinada, uma MP pode ser modificada no Congresso.

    'Evitar o avanço da morte'

    Os governadores dizem ainda que "agir contra esse cenário requer medidas sanitárias e garantia de uma renda emergencial". 

    "Somente com essas medidas seremos capazes de evitar o avanço da morte. Por isso, entendemos que a redução dos valores do auxílio emergencial é inadequada para a eficácia da proteção da população", afirma o grupo na carta enviada à Sputnik Brasil pelo movimento Renda Básica que Queremos. 

    Os governadores também dizem que, enquanto não houver vacinação em massa, é preciso garantir uma renda para as pessoas mais vulneráveis. 

    "Por isso, solicitamos ao Congresso Nacional que disponibilize os recursos necessários para o auxílio emergencial em níveis que superem os valores noticiados de R$ 150, R$ 250 e R$ 375. Neste momento, defendemos auxílio emergencial de R$ 600, com os mesmos critérios de acesso de 2020", completam.
    Tema:
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)

    Mais:

    PEC Cavalo de Troia? Congresso usa auxílio emergencial para reduzir direitos, diz especialista
    Bolsonaro assina MPs que possibilitam prorrogação do auxílio emergencial
    Sinal vermelho? Suspensão da produção de montadoras no Brasil liga alerta no mercado
    Tags:
    Congresso, benefícios, Brasil, saúde, novo coronavírus, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar