15:58 17 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    14729
    Nos siga no

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (5) que "orientação do presidente, desde o início", é para "desonerar, reduzir, simplificar, tirar o Estado do povo brasileiro". 

    Guedes fez a declaração ao lado do presidente Jair Bolsonaro, em coletiva no Palácio do Planalto para apresentar medidas para tentar reduzir o preço dos combustíveis, em especial do diesel.

    ​O governo enfrenta o descontentamento e greves por parte de caminhoneiros, categoria que, em grande parte, apoiou o presidente na campanha de 2018.  

    No evento, Guedes disse ainda que "o peso do Estado é muito grande". Em relação aos caminhoneiros, o ministro afirmou que o governo tem "admiração pelo extraordinário trabalho" da categoria, que, segundo ele, ajudou a manter "os sinais vitais da economia". 

    "Toda produção agrícola chegou à cidade, sem greve, e nós temos que compatibilizar o atendimento a essas dificuldades que eles enfrentam da política passada", disse Guedes, culpando governos anteriores pelos problemas dos caminhoneiros. 

    Redução de impostos sobre combustíveis

    A coletiva foi realizada após reunião do governo para discutir a questão dos combustíveis, que contou também com a participação do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. 

    Bolsonaro e Guedes disseram que há um estudo para reduzir o PIS/Cofins sobre combustíveis sem aumentar outro imposto para compensar a medida.

    Além disso, o presidente anunciou que enviará ao Congresso um projeto de lei para rever as regras do ICMS para tentar reduzir os preços nas bombas de combustível. 

    "Estamos examinando como reduzir a tributação do setor elétrico, combustível, que é justamente o que aumenta o custo Brasil e dificulta a competitividade da nossa indústria, produção, aumenta o custo do transporte e tudo isso derruba a qualidade de vida dos brasileiros", disse Paulo Guedes. 

    Mais:

    Paulo Guedes contradiz Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia chama o presidente de mentiroso
    Brasil: imposto sobre fortunas entra em debate na Câmara, mas é rejeitado por Guedes
    Paulo Guedes fala em nova rodada de auxílio emergencial para 32 milhões de pessoas
    Tags:
    neoliberalismo, combustível, caminhoneiros, economia, Estado, Paulo Guedes, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar