02:14 09 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    10372
    Nos siga no

    O ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, se posicionou nesta quinta-feira (28) sobre a reação irritada de Bolsonaro à divulgação de detalhes sobre os gastos do governo federal com alimentos em 2020.

    Pelo Twitter, Santos Cruz, que foi demitido em junho de 2019, disse que os ataques à imprensa realizados pelo presidente em uma churrascaria em Brasília são uma "vergonha nacional e internacional" e afirmou que Bolsonaro não tem "noção institucional" do cargo que ocupa.

    Nesta quarta-feira (27), Bolsonaro se irritou com a divulgação do gasto de mais de R$ 1,8 bilhão do governo em alimentos. O valor é 20% maior do que o gasto em 2019. Só em alfafa, por exemplo, foram gastos mais de um milhão de reais (R$ 1.042.974,22). Com leite condensado, mais de 15 milhões (R$ 15.641.777,49).

    Em resposta, o presidente disse: "Quando eu vejo a imprensa me atacar, dizendo que comprei dois milhões e meio de latas de leite condensado, vai para a p***, imprensa de m***! É pra enfiar no r*** de vocês da imprensa essas latas de leite condensado".

    O Ministério Público (MP) entrou com uma representação junto ao Tribunal de Contas da União para que sejam apuradas "supostas irregularidades" no caso da compra de alimentos pelo governo federal. Segundo o subprocurador-geral do MP, Lucas Furtado, "notam-se claros indícios de pagamentos em valores acima do mercado a configurar superfaturamento dos gastos do governo".

    Presidente Jair Bolsonaro conversa com jornalistas após encontro com ministro da Economia, Paulo Guedes
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Presidente Jair Bolsonaro conversa com jornalistas após encontro com ministro da Economia, Paulo Guedes

    Santos Cruz é amigo de Bolsonaro há mais de vinte anos. Desde que foi exonerado, já fez outros ataques ao presidente, como a declaração de que o governo federal "é um show de besteiras". Em outra oportunidade, afirmou que Olavo de Carvalho, tido por Bolsonaro como um ideólogo, é um "vigarista profissional".

    Mais:

    R$ 15 milhões gastos por Bolsonaro em leite condensado rendem memes e revoltam redes sociais
    'Faz relações públicas com todo mundo': Bolsonaro sai em defesa de Ernesto Araújo
    'Se Deus quiser' Lira será eleito presidente da Câmara, diz Bolsonaro
    Bolsonaro critica isolamento novamente: 'Brasileiro é forte' e 'não tem medo do perigo'
    Tags:
    governo federal, gastos públicos, ataque, Brasil, Jair Bolsonaro, General Santos Cruz
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar