06:23 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    11321
    Nos siga no

    A Gol se tornou hoje (9) a primeira companhia aérea do mundo a voltar a voar comercialmente com o Boeing 737 MAX, desde que o modelo foi proibido de decolar há 20 meses, após dois acidentes que resultaram na morte de centenas de pessoas.

    O primeiro voo desta quarta-feira (9) foi entre as cidades de São Paulo e Porto Alegre, segundo o site FlightRadar24, que monitora as rotas de aviões. Em seguida, o avião da Gol Linhas Aéreas Inteligentes fez sua segunda viagem ao decolar da capital gaúcha de volta para São Paulo.

    A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) suspendeu a ordem de proibição de voo do 737 MAX no final de novembro, após uma decisão semelhante da Administração de Aviação Federal dos Estados Unidos.

    Após uma hora e 15 minutos de voo de São Paulo, pousou o primeiro voo comercial do 737 MAX em quase dois anos.

    O retorno dos voos com o 737 MAX representa um marco importante para a Boeing, que já vinha tentando colocar o avião de volta em serviço muito antes, e ultrapassou sua meta inicial de retornar às atividades no final de 2019. A expectativa é que a American Airlines seja a próxima operadora a reiniciar os voos com o 737 MAX, em 29 de dezembro, segundo a Reuters.

    De acordo com o site G1, a Gol afirmou que, antes de reintegrar os 737 MAX à sua frota, 140 pilotos da companhia realizaram treinamentos nos Estados Unidos em conjunto com a Boeing, e também uma "série rigorosa" de voos técnicos.

    "O MAX está entre as aeronaves mais eficientes da história da aviação e a única a passar por um processo completo de recertificação, garantindo os mais altos níveis de segurança e confiabilidade", disse Paulo Kakinoff, diretor presidente da Gol, segundo o G1. 

    De acordo com a companhia, a aeronave é "fundamental" para os seus planos de expansão, por sua maior eficiência de combustível e redução nas emissões de carbono. Além disso, a empresa acrescentou que todos os 737 MAX da frota, que são sete no total, deverão receber autorização para voar até o final de 2020.

    Mais:

    Congresso dos EUA aponta falhas e define Boeing 737 Max como 'defeituoso e inseguro'
    FAA investiga Boeing por falhas no controle de qualidade dos 737 MAX, segundo relatos
    Retorno do Boeing 737 MAX: 'Raras vezes uma aeronave passou por tantos testes', diz especialista
    Tags:
    Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), aviação civil, Gol, Boeing 737 MAX
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar