23:29 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    41114
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo (22) que a política ambiental do Brasil é vítima de "ataques injustificados" feitos por "nações menos sustentáveis". 

    A declaração foi feita durante discurso do chefe de Estado na cúpula do G20, em sessão que teve como tema "Construindo um Futuro Inclusivo, Sustentável e Resiliente". 

    Bolsonaro afirmou ainda que o país mantinha "elevado nível de preservação" de suas florestas. 

    "Trabalharemos sempre para manter esse elevado nível de preservação, bem como para repelir ataques injustificados proferidos por nações menos competitivas e menos sustentáveis", disse o presidente, sem mencionar nenhum país especificamente. 

    'Realidade dos fatos'

    Bolsonaro afirmou que traria aos líderes das outras nações do G20 a "realidade dos fatos" , e "não narrativas", sobre a preservação do meio ambiente no Brasil. 

    "São dados concretos e não frases demagógicas que rebaixam o debate público e, no limite, ferem a própria causa que fingem apoiar", argumentou. 

    O presidente mencionou também que o governo sabe que "acordos comerciais sofrem cada vez mais influência da agenda ambiental".

    Segundo Bolsonaro, o país realizou uma  "revolução agrícola", que permitiu utilizar 8% das terras para produzir alimentos. Além disso, de acordo com o presidente, mais de 60% do território brasileiro mantêm vegetação nativa.

    'Protegendo nossa Amazônia'

    O presidente disse também que o Brasil possui a matriz energética mais limpa entre os países integrantes do G20. 

    Ao final de seu discurso, ele prometeu que o governo "vai continuar protegendo nossa Amazônia, nosso Pantanal e todos os nossos biomas".

    “Contem com o meu país e com o meu povo para tornar o mundo realmente mais desenvolvido e mais sustentável”, completou.

    Aumento de incêndios

    Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgados em outubro mostraram que o índice de queimadas na Amazônia em 2020, a dois meses do fim do ano, superava os números registrados em todo o ano passado.

    Em 2019, a região apresentou 89.176 focos de calor. Até outubro deste ano, foram 89.734 incêndios na área.

    No Pantanal, nos primeiros 20 dias de outubro foram registrados 2.667 focos de incêndio, 408% a mais do que no mesmo período do ano passado. 

    Mais:

    Uso de militares para combater desmatamento é 'opção ideológica do governo', diz ambientalista
    Nem Amazônia nem Pantanal: por que a Mata Atlântica é o bioma mais ameaçado pela extinção?
    Projeto do governo para controlar ONGs na Amazônia tem desafios legais e políticos
    Tags:
    Brasil, incêndios, desmatamento, meio ambiente, G20, Pantanal, Amazônia, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar