09:06 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de novembro (37)
    0 15
    Nos siga no

    Em resposta a um internauta, o Ministério da Saúde disse nesta quarta-feira (18), pelo Twitter, que não existem cura e tratamento preventivo para a COVID-19, mas depois o post foi apagado.

    Além disso, a pasta defendeu o isolamento social como melhor forma de evitar o contágio da doença. O presidente Jair Bolsonaro, desde o início da pandemia, colocou-se contra as medidas restritivas de circulação para conter a disseminação do coronavírus. Ele também é favorável, sem comprovação científica, ao uso da cloroquina como tratamento da enfermidade.

    A publicação do Ministério da Saúde foi feita em resposta a uma usuária do Twitter, que comentou texto da pasta, que falava sobre a importância do cidadão procurar uma unidade de saúde em caso de sintomas da COVID-19. 

    "Quanto mais cedo começar o tratamento, maiores as chances de recuperação. Então, fique atento! Ao apresentar sintomas da COVID-19, #NãoEspere, procure uma Unidade de Saúde e solicite o tratamento precoce", dizia a publicação original, que também foi apagada, segundo o portal G1.

    'Nossa maior ação é o isolamento'

    Uma usuária então comentou: "Azitromicina" (antibiótico que chegou a ser indicado como tratamento para a COVID-19, mas que testes clínicos demonstraram não ter eficácia). Além da cloroquina, Bolsonaro e seus apoiadores costumam afirmar que o remédio é a solução para pandemia. 

    Em resposta a internauta, o ministério respondeu: "Olá! É importante lembrar que, até o momento, não existem vacina, alimento específico, substância ou remédio que previnam ou possam acabar com a COVID-19. A nossa maior ação contra o vírus é o isolamento social e a adesão das medidas de proteção individual". 

    O texto ficou cerca de uma hora no ar, mas depois foi apagado pela pasta. O Ministério da Saúde não informou o motivo da exclusão da resposta. 

    Dados recentes apontam para uma alta de casos da COVID-19 no Brasil. Alguns pesquisadores alertam para a chegada de uma possível segunda onda da doença. 

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de novembro (37)

    Mais:

    COVID-19: gestão Bolsonaro e isolamento falho explicam Brasil líder nas mortes diárias, diz analista
    Bolsonaro defende a cloroquina e diz 'vamos tocar a vida' sobre 100 mil mortes por COVID-19
    Exército pagou 167% mais caro por insumo da cloroquina; PGR investiga superfaturamento
    Tags:
    isolamento, tratamento, Hidroxicloroquina, pandemia, novo coronavírus, COVID-19, Ministério da Saúde, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar