06:43 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    284
    Nos siga no

    Na gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Globo deixou de ser emissora que mais recebe dinheiro do Governo Federal para veicular ações de publicidade. 

    O levantamento foi feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e publicado pelo jornal Folha de S. Paulo. O TCU avaliou que faltam critérios técnicos para gerenciar a publicidade estatal e recomendou a elaboração normas e critérios para a distribuição da verba publicitária. A investigação foi feita em uma auditoria para apurar o possível direcionamento político do dinheiro público. 

    Em 2017, quando o presidente ainda era Michel Temer (MDB), a Globo ficou com 49% das verbas publicitárias federais. Em 2018, a participação caiu para 39% e, em 2019, ficou em 16%. No mesmo período, Record e SBT passaram a ganhar mais. A Record ampliou sua participação de 31% para 43% de 2018 para 2019. Já o SBT levou 30% em 2018 e 41% em 2019.

    A Record, que aumentou sua participação no bolo da publicidade do governo, tem contratos com a empresa do secretário-executivo do Ministério das Comunicações e ex-chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal Fabio Wajngarten. O dinheiro é recebido por meio da companhia FW Comunicação, de propriedade de Wajngarten, e o caso está sendo investigado pela Polícia Federal e o TCU. 

    O atual ministro das Comunicações, Fábio Faria, é genro de Silvio Santos.

    Mais:

    Adiada por Bolsonaro, Reforma Administrativa é vital para cofres e serviços públicos, diz analista
    Após 'debandada', Bolsonaro garante que privatizações e responsabilidade fiscal norteiam governo
    Avó de Michelle Bolsonaro morre de COVID-19
    Quebra de sigilo bancário de filha de Queiroz liga rachadinha a gabinete de Jair Bolsonaro
    Tags:
    publicidade, Jair Bolsonaro, TV Record, Globo, SBT
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar