09:04 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    220
    Nos siga no

    Pela sexta semana consecutiva, os analistas do mercado financeiro brasileiro reduziram a projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, que passou de 5,66% para 5,62%, e a manteve em 3,5% para a próxima, divulgou o Banco Central (BC) nesta segunda-feira (10).

    De acordo com a pesquisa Focus realizada pelo BC entre as principais instituições financeiras do país sul-americano, há quatro semanas a expectativa dos analistas era de uma queda do PIB de 6,1% para o final deste ano. Em relação à inflação, o mercado manteve sua estimativa em 1,63% ao final de 2020 e em 3% em 2021.

    As projeções estão dentro da meta oficial de 4% em 2020 e 3,75% em 2021, com um intervalo de tolerância de 1,5 pontos percentuais para cima ou para baixo. Manteve-se a projeção para a taxa básica de juros do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), que encerraria o ano no patamar atual de 2% ao ano e de 3% ao final de 2021.

    Em relação ao mercado de câmbio, a projeção permaneceu em R$ 5,2 por dólar ao final do ano e em R$ 5 por dólar ao final do próximo ano. Em relação à balança comercial (saldo entre exportações e importações), a estimativa era de US$ 55 bilhões (R$ 298,2 bilhões) de saldo positivo em 2020 e US$ 53.350 milhões (R$ 289,2 milhões) em 2021.

    A previsão de entrada de investimento estrangeiro direto no Brasil localizava-se em US$ 53,75 bilhões (R$ 291,4 bilhões) em 2020 e US$ 65,96 bilhões (R$ 357,6 bilhões) em 2021.

    Mais:

    Tendência é que Banco Central mantenha redução da Selic ao longo do ano, diz economista
    Brasil economizou R$ 466 milhões com trabalho remoto durante a pandemia, diz Ministério da Economia
    Banco Central tenta estimular economia real ao baixar Selic, diz economista
    Tags:
    Selic, juros, inflação, riqueza, Banco Central, PIB, mercado financeiro, economia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar