14:47 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na pandemia de coronavírus no início de agosto (49)
    122
    Nos siga no

    Na quarta-feira (5), o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu cortar novamente a taxa básica de juros no Brasil.

    Com isso, a taxa Selic caiu de 2,25% para 2% no que foi o 9º corte consecutivo do indicador. A nova diminuição na taxa levou os juros ao menor valor desde 1999.

    A nota publicada pelo Copom justifica o novo corte com a necessidade de estímulo da economia, uma vez que a taxa supostamente estimularia a tomada de crédito a juros menores nas instituições financeiras do país. A nota cita que a economia brasileira precisa de estímulo "extraordinariamente elevado", mas aponta cautela.

    "O Copom entende que a conjuntura econômica continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado, mas reconhece que, devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno", diz a nota.
    O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante coletiva de imprensa no palácio do Planalto em 31 de março de 2020.
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante coletiva de imprensa no palácio do Planalto em 31 de março de 2020.

    O Copom também aponta em nota que a ociosidade da economia deve manter a inflação em ritmo lento, o que pode se intensificar caso os efeitos da pandemia alonguem a incerteza e também o nível de poupança por medo do cenário econômico no Brasil.

    As expectativas sobre a economia brasileira são de dificuldades em 2020. Em junho, o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou previsão de queda de 9,1% do PIB brasileiro neste ano. Já o mais recente relatório de mercado publicado pelo Banco Central brasileiro prevê queda de 5,66% na economia brasileira no período.

    Tema:
    Brasil na pandemia de coronavírus no início de agosto (49)

    Mais:

    Economista: Brasil endividado junto ao FMI para combater coronavírus 'não seria uma boa'
    Bolsa-família 2.0? Guedes anuncia programa Renda Brasil em ano de eleições e pandemia
    Guedes: combate à COVID-19 foi 'bem-sucedido' e economia do Brasil tem 'ritmo interessante'
    Bolsonaro libera Guedes para discutir criação da nova CPMF, diz jornal
    Tags:
    COVID-19, Brasil, Copom, Banco Central
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar