03:40 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    6253
    Nos siga no

    Um comitê na Câmara dos Representantes dos EUA divulgou carta nesta semana se opondo a um acordo comercial entre o país e o Brasil, o que deve significar uma "liquidação" de qualquer iniciativa do gênero entre as duas nações, segundo um ex-embaixador em Washington.

    Em entrevista ao jornal O Globo nesta sexta-feira (5), Rubens Ricupero – que também foi ministro da Fazenda – destacou que o comitê norte-americano, ao indicar a sua oposição ao acordo tratado por Donald Trump e Jair Bolsonaro, sinaliza que a aliança econômica não deve avançar.

    "Todas as questões ligadas a comércio são tratadas nesta comissão, e ela é absolutamente fundamental para qualquer acordo, inclusive para poder dar uma licença para começar a negociação. Achei muito impressionante a carta, que praticamente liquida qualquer tipo de tentativa de um acordo com o Brasil, porque os democratas dominam a Câmara", disse.

    Ricupero ainda explicou que, ao indicar que não concorda com as negociações, o comitê deixa o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, de mãos atadas, uma vez que a Câmara é de maioria democrata. E a situação pode piorar, caso Joe Biden derrote Trump no pleito de novembro.

    "Uma coisa que aqui no Brasil ninguém tem realçado: Joe Biden é muito mais comprometido com o meio ambiente do que o [ex-presidente dos EUA Barack] Obama. Ele foi vice do Obama, mas ele é mais ligado à ideia da economia verde. Então ele sendo presidente, a situação em matéria de meio ambiente vai ficar mais complicada para o Brasil", analisou.

    Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, se encontra com o presidente americano, Donald Trump, em Miami
    Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, se encontra com o presidente americano, Donald Trump, em Miami

    Além de considerar que um governo Biden deixaria o Brasil sob Bolsonaro em uma situação difícil, Ricupero comentou a decisão do Parlamento da Holanda de aprovar uma moção contrária ao acordo comercial entre Mercosul e União Europeia (UE).

    "Hoje não há absolutamente ambiente para que a UE possa ratificar o acordo. Acredito que os europeus não vão propriamente abandonar o acordo, mas deixar em banho-maria, vendo se a situação melhora. Nos próximos meses, não creio que haverá uma evolução", previu ele.

    Com o peso dado para a área ambiental, o Brasil deverá seguir tendo cada vez mais dificuldades em levar a frente o seu plano de se abrir a novos parceiros comerciais, concluiu o ex-embaixador brasileiro nos EUA.

    Mais:

    MPF conclui pela 2ª vez que Adélio agiu sozinho em ataque a facada contra Bolsonaro
    Após recorde de mortes, Greta Thunberg afirma: Bolsonaro 'fracassou' na luta contra COVID-19
    Ligado a Bannon, amigo de Flávio Bolsonaro pode ganhar cargo no Itamaraty, diz jornal
    Tags:
    desmatamento, meio ambiente, Joe Biden, Robert Lighthizer, Câmara dos Representantes, acordo comercial, Donald Trump, Jair Bolsonaro, Rubens Ricupero, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar