06:05 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho (52)
    5143
    Nos siga no

    O Brasil registrou 623 óbitos por novo coronavírus nas últimas 24 horas e atingiu a marca total de 29.937 vidas perdidas para a doença, segundo o balanço mais recente do Ministério da Saúde divulgado nesta segunda-feira (1º).

    Ao se aproximar das 30 mil mortes, o Brasil alcança com velocidade o top 3 das vítimas fatais da COVID-19 em todo o mundo, que conta hoje com Estados Unidos (105.003), Reino Unido (39.127) e Itália (33.475), segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

    Já o número de novos casos nas últimas 24 horas foi de 12.247, o que elevou o total de pessoas infectadas pelo coronavírus em solo brasileiro para 526.447, conforme informou o Ministério da Saúde.

    Em números absolutos de casos confirmados, o Brasil só perde para os Estados Unidos, que tem 1.808.291 infecções confirmadas, e está à frente da Rússia (414.328).

    Túmulos com vítimas da COVID-19 no Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo.
    © REUTERS / Amanda Perobelli
    Túmulos com vítimas da COVID-19 no Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo.

    O estado de São Paulo segue liderando em número de casos e óbitos, com 111.296 diagnósticos e 7.667 mortes. O Rio de Janeiro vem a seguir com 54.530 casos e 5.462 óbitos, enquanto o Ceará possui 50.530 infecções e 3.188 mortes.

    Os altos números e a curva ainda em aceleração, sem ter chegado ao pico até o momento em nenhuma parte do Brasil, aparecem no momento em que várias cidades e estados adotam medidas de flexibilização do distanciamento social e a reabertura de setores da economia.

    Entre outras informações, destaque para o número de pacientes recuperados (211.080), enquanto outros 285.430 (54,2% do total) seguem sob acompanhamento médico em todo o país.

    O Ministério da Saúde, mais uma vez, não concedeu entrevista coletiva para falar dos números e do que vem sendo feito contra a COVID-19. A pasta também segue sem ministro efetivo, desde a saída de Nelson Teich, há mais de uma semana.

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho (52)

    Mais:

    Chanceler da Venezuela rebate Araújo e diz que Bolsonaro comete genocídio no Brasil
    Secretário de ministério contraria Bolsonaro sobre imunidade de rebanho para combater COVID-19
    Datafolha: Bolsonaro tem reprovação recorde de 43% e aprovação de 33%
    Tags:
    Ministério da Saúde, infecção, vírus, novo coronavírus, COVID-19, saúde, Universidade Johns Hopkins, Reino Unido, Itália, Rússia, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar