22:48 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)
    7711
    Nos siga no

    Ministério das Relações Exteriores disse neste domingo (24) que decisão dos EUA de barrar a entrada no país de estrangeiros que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias foi baseada em "critérios técnicos".

    "A decisão do governo dos EUA baseou-se em critérios técnicos, que levam em conta uma combinação de fatores tais como os casos totais, tendências de crescimento, volume de viagens, entre outros", afirmou o Itamaraty por meio de nota, segundo o portal UOL. 

    O ministério disse ainda que a medida é idêntica a decisões anteriores do governo estadunidense em relação a outros países para evitar a disseminação do coronavírus. 

    "A decisão do governo dos Estados Unidos de suspender temporariamente a entrada de viajantes provenientes do Brasil, anunciada hoje, tem teor idêntico a medidas anteriores que suspenderam a entrada de viajantes de outros países afetados pelo COVID-19, como China, Irã, Reino Unido e Irlanda, bem como os países que fazem parte do Espaço Schengen da União Europeia", afirmou o comunicado. 

    A nota ressalta ainda que o "Brasil e Estados Unidos têm mantido importante cooperação bilateral no combate à COVID-19".

    "Já foram anunciadas doações norte-americanas de cerca de US$ 6,5 milhões [cerca de R$ 35,5 milhões] para os esforços brasileiros de mitigação dos impactos à saúde e socioeconômicos da COVID-19. No dia de hoje, 24 de maio, representantes da Casa Branca anunciaram, ademais, doação de 1.000 respiradores ao Brasil", acrescentou. 

    'Medida análoga já adotada pelo Brasil'

    O Itamaraty disse ainda que a medida dos EUA é igual à decisão adotada pelo governo brasileiro recentemente. 

    "A restrição americana tem o mesmo propósito de medida análoga já adotada pelo Brasil em relação a cidadãos de todas as origens, inclusive norte-americanos, e de medidas semelhantes tomadas por ampla gama de países", afirmou o Itamaraty. 

    A restrição para entrada de estrangeiros no Brasil ocorreu em 20 de março, quando já havia transmissão comunitária do coronavírus no país e mais de 900 casos confirmados. 

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)

    Mais:

    Ministro interino da Saúde participa de ato pró-governo
    Protocolo de uso da cloroquina deve ser 'revisto', diz Nelson Teich
    Moro diz que vídeo 'fala por si', critica alianças do governo e lamenta omissão contra corrupção
    Tags:
    voos, pandemia, Itamaraty, Brasil, EUA, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar