12:46 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    499
    Nos siga no

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, justificou neste domingo (24) suas declarações, gravadas em vídeo, durante reunião ministerial do dia 22 de abril com o presidente Jair Bolsonaro.

    No vídeo, Weintraub chamou ministros do STF de "vagabundos" e defendeu prisão para os juízes. Em seu Twitter, o político disse que suas declarações foram "deturpadas".

    ​Na sexta-feira (22), a divulgação do vídeo foi liberada pelo STF. As imagens da reunião, assim como mensagens enviadas por celular, foram citadas pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, como prova da tentativa de interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal.

    O ministro dos STF Celso de Mello, responsável pela liberação do vídeo, disse que a conduta de Weintraub, "num discurso contumelioso (insultante) e aparentemente ofensivo ao patrimônio moral" em relação aos ministros da Corte, constitui aparente "prática criminosa", em função do "seu destacado grau de incivilidade e de inaceitável grosseria".

    Mais:

    PGR pede ao STF que investigue Weintraub por suposto crime de racismo contra China
    Weintraub diz que vai recorrer de decisão que adia Enem: 'Brasil não pode parar'
    Tags:
    Brasil, Twitter, Abraham Weintraub, STF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar