22:52 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    21624
    Nos siga no

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, declarou neste sábado (23) que ficou "perplexo" com o vídeo da reunião ministerial do presidente Jair Bolsonaro com o primeiro escalão do governo.

    Em reunião com muitos palavrões e ataques a instituições, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, declarou em determinado momento que "por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF".

    "Tudo lamentável, ante a falta de urbanidade. Fiquei perplexo. O povo não quer 'circo'. Quer saúde, emprego e educação", disse Marco Aurélio em entrevista ao Estadão.

    "Fosse o presidente [da República], teria um gesto de temperança. Instaria o Ministro da Educação a pedir o boné. Quem sabe?", completou.

    O ministro do STF, Celso de Mello, levantou o sigilo do vídeo da reunião e informou aos colegas ministros sobre os ataques de Weintraub para que eles pudessem adotar medidas que considerassem pertinentes, caso queiram.

    O ministro Marco Aurélio, por sua vez, disse à reportagem que não pretende tomar nenhuma medida contra o ministro da Educação.

    "De forma alguma. Não sou vagabundo. A carapuça passou longe", afirmou Marco Aurélio.

    Ao comentar se as falas da reunião ministerial representam uma ameaça à democracia do país, Marco Aurélio disse: "A resposta é desenganadamente negativa. Não vejo. Não há espaço para retrocesso".

    Mais:

    Ministro do STF manda comunicar Bolsonaro sobre ação que pede impeachment
    COVID-19: Bolsonaro edita MP que livra agente público de punição, mas STF deve barrar
    STF: decisão sobre publicação de vídeo de reunião ministerial será tomada na sexta-feira
    Tags:
    reunião, Abraham Weintraub, Marco Aurélio Melo, STF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar