14:53 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    10122
    Nos siga no

    Neste domingo (3), o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, usou as redes sociais para dar sua primeira declaração após depoimento na Polícia Federal.

    No Twitter, o ex-juiz postou durante a manhã deste domingo que "há lealdades maiores do que as pessoais", no que parece uma indireta sobre sua saída conturbada do governo federal.

    ​No sábado (2), o ex-ministro prestou um depoimento de mais de 8 horas na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, no Paraná. O depoimento é parte de um inquérito que investiga as alegações de Moro contra o presidente brasileiro Jair Bolsonaro. Segundo Moro, Bolsonaro teria tentado interferir politicamente na Polícia Federal, o que motivou a saída do ex-juiz do Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

    Mais cedo no mesmo dia, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro usou a mesma plataforma para atacar Moro. Na ocasião, Bolsonaro chamou Moro de "Judas" - o personagem que trai Jesus Cristo na Bíblia.

    Manifestação em frente à Polícia Federal, em Curitiba-PR, no dia 2 de maio de 2020, quando o ex-ministro Sergio Moro foi ouvido na condição de testemunha sobre as acusações de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal.
    © Folhapress / Giuliano Gomes
    Manifestação em frente à Polícia Federal, em Curitiba-PR, no dia 2 de maio de 2020, quando o ex-ministro Sergio Moro foi ouvido na condição de testemunha sobre as acusações de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal.

    Bolsonaro também postou junto à crítica uma acusação contra Moro, afirmando que o ex-ministro e a Polícia Federal não investigaram a tentativa de assassinato sofrida por Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018.

    O presidente publicou um vídeo com uma análise caseira e não profissional de um vídeo do dia do ataque contra Bolsonaro. A análise alega que o perpetrador da tentativa de homicídio, Adélio Bispo de Oliveira, não teria agido sozinho.

    A Polícia Federal tem uma investigação em andamento sobre a questão e até agora não encontrou indícios de participação de terceiros no ataque. Um relatório parcial da investigação deve ser publicado nos próximos dias.

    Mais:

    Oficial: ministro da Justiça Sergio Moro anuncia saída do governo Bolsonaro
    Bolsonaro chama Moro de 'Judas' e posta teoria caseira sobre a facada
    Manifestantes a favor de Bolsonaro e Moro se aglomeram em frente à PF, em Curitiba
    Moro conclui depoimento sobre acusações contra Bolsonaro na PF após mais de 8 horas
    Tags:
    Adélio Bispo, Ministério da Justiça e Segurança Pública, Polícia Federal, Sergio Moro, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar