17:08 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    15826
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro criticou o decreto do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para combater a disseminação do coronavírus.

    O governador do Rio determinou a suspensão de viagens aéreas, terrestres e aquaviárias de origem de locais com circulação de coronavírus ou em situação de emergência. O decreto ainda depende da confirmação de agências reguladoras como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

    Para o presidente Jair Bolsonaro, Witzel teria tomado medidas "exageradas" e que não competem ao governador.

    "Estão tomando medidas, no meu entender, exageradas. Fecharam o aeroporto do Rio de Janeiro. Não compete a ele, meu Deus do céu! A Anac está à disposição, é uma agência autônoma que está aberta para todo mundo, para conversas. Eu vi ontem um decreto do governador do Rio que, confesso, fiquei preocupado. Parece que o Rio de Janeiro é um outro país. Não é outro país. Você tem uma federação", afirmou Bolsonaro a repórteres.

    O presidente também declarou que as medidas de combate à COVID-19 devem ser equilibradas e não levar pânico.

    "Tem certos governadores, tenho que criticar de novo, que estão tomando medidas extremas, que não competem a eles: fechar aeroportos, fechar rodovias [...] Não compete a eles. Fechar shopping etc, está para fechar a feira dos nordestinos [Feira de São Cristóvão] no Rio de Janeiro. Se o comércio para, o pessoal não tem o que comer", completou.

    Mais:

    Coronavírus: Bolsonaro volta a criticar restrições e vê normalidade no Brasil em 6 ou 7 meses
    'Não há nenhum problema com a China', diz Bolsonaro após filho culpar chineses pela COVID-19
    Bolsonaro diz que pode fazer novo teste para coronavírus
    Tags:
    COVID-19, Jair Bolsonaro, Wilson Witzel, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar