17:09 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    15331
    Nos siga no

    Em mensagem publicada em sua página oficial no Twitter, a Embaixada da China no Brasil voltou a defender um pedido de desculpas claro e definitivo do deputado federal Eduardo Bolsonaro, que sugeriu que Pequim é a culpada pela pandemia da COVID-19 no mundo.

    Chamando as falas do filho do presidente brasileiro Jair Bolsonaro de "irresponsáveis", o principal organismo diplomático chinês no país refutou as mensagens postadas horas mais cedo pelo parlamentar, que negou ter atacado o povo chinês na quarta-feira.

    A embaixada foi além e afirmou que "quem insiste em atacar e humilhar o povo chinês acaba sempre dando um tiro no próprio pé".

    Mais tarde, os chineses divulgaram uma nota mais ampla, condenando as atitudes de Eduardo Bolsonaro e destacando as contribuições nas relações bilaterais entre Brasil e China, tanto na área comercial quanto no combate ao avanço do novo coronavírus.

    A mesma nota ainda exige que o Itamaraty, por meio do chanceler Ernesto Araújo, tome providências para apaziguar o caso e, principalmente, exigir um pedido de desculpas claro do filho do presidente para o povo chinês.

    Em sua primeira manifestação, na quarta-feira, Eduardo Bolsonaro sugeriu que a China seria a culpada pela pandemia do coronavírus – repetindo um discurso que vem sendo usado pelo governo estadunidense de Donald Trump.

    Pouco depois, o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, reagiu e chegou a dizer que o parlamentar "contraiu um vírus mental" em Miami, onde esteve na comitiva do presidente brasileiro que acabou tendo vários de seus integrantes diagnosticados com a COVID-19.

    Eduardo Bolsonaro desceu o tom e disse jamais ter tentado ofender os chineses, enquanto o ministro Ernesto Araújo não condenou a fala do filho do presidente, preferindo se focar em críticas compartilhadas pelo embaixador chinês contra Jair Bolsonaro.

    Mais:

    Como China está se tornando líder humanitário à escala global?
    Venezuela recebe da China 4 mil kits para testes do novo coronavírus
    China não registra novos casos do coronavírus pelo 2º dia, mas infecções de fora preocupam
    Tags:
    pandemia, Ernesto Araújo, COVID-19, saúde, ofensa, relações bilaterais, diplomacia, novo coronavírus, Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, Miami, Estados Unidos, China, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar