08:23 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de entronização do imperador Naruhito, no Japão.

    Bolsonaro pede desculpas e isenta filho de publicação de vídeo comparando STF a hienas

    © REUTERS / Pierre Emmanuel Deletree
    Brasil
    URL curta
    7112
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro pediu desculpas nesta terça-feira (29) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela publicação de um vídeo em suas redes sociais no qual a corte e outras instituições são comparadas a hienas que o atacam. 

    Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S.Paulo, Bolsonaro disse que a divulgação foi um "erro", adiantou que "publicará uma matéria pedindo desculpas" e isentou seu filho Carlos da culpa pela publicação. 

    "Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria", afirmou. "Me desculpo publicamente ao STF, a quem por ventura ficou ofendido", acrescentou. 

    O vídeo postado nesta segunda-feira (28) mostra um leão envelhecido, identificado como o presidente, sendo atacado por um grupo de hienas, que representam partidos e entidades como o PT, PSL, STF, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ONU e Rede Globo. Em seguida, surge outro leão, descrito como "conservador patriota", que expulsa as hienas. 

    'Atrevimento sem limites'

    A postagem gerou críticas e foi motivo de piadas entre opositores do governo. O vídeo teria surgido originalmente em grupos virtuais que defendem Bolsonaro. O ministro do STF Celso de Mello disse que sua publicação era um "atrevimento sem limites". 

    Segundo ele, o vídeo é uma "expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de Poderes" e de quem "teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República".

    Ao ser perguntado sobre a reação do juiz por jornalistas em Riad, na Arábia Saudita, após se encontrar com o príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman, o presidente abandonou a coletiva. Bolsonaro está realizando viagem a países do Oriente Médio. 

    O vídeo foi excluído das redes sociais de Bolsonaro, mas permanece sendo compartilhado por outros perfis. A hashtag #hienasdetoga é uma das mais comentadas no Twitter nesta terça-feira (29). 

    'Não se pode culpar o Carlos'

    "O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinham alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco [nas redes sociais] são as nossas viagens", justificou o presidente. 

    Bolsonaro foi então questionado se o responsável pelo post era seu filho Carlos, vereador do Rio de Janeiro.

    "Não se pode culpar o Carlos. A responsabilidade final é minha. O Carlos foi um dos grandes responsáveis pela minha eleição e é comum qualquer coisa errada em mídias sociais culpá-lo diretamente. A responsabilidade é minha, tem mais gente que tem a senha, e não sei por que passou despercebido essa matéria aí", afirmou.

    Mais:

    'Herói nacional': Bolsonaro volta a exaltar coronel responsável por torturas durante a ditadura
    Cientista político: Lula não disse novidade, governo Bolsonaro é muito ruim
    'Diplomacia sem armas é como música sem instrumentos', diz Eduardo Bolsonaro em evento na Câmara
    Investigado pelo MP-RJ, Carlos Bolsonaro ataca a imprensa: 'não vou cair na armadilha'
    Analista culpa gestão Bolsonaro por desaceleração da direita na América do Sul
    Tags:
    PSL, Arábia Saudita, Brasília, Facebook, Twitter, redes sociais, política, justiça, STF, Carlos Bolsonaro, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar