17:16 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Ato da Greve Global Pelo Clima em São Paulo.

    Capitais brasileiras participam da Greve Mundial Pelo Clima

    © REUTERS / Nacho Doce
    Brasil
    URL curta
    323
    Nos siga no

    Cidades do Brasil registraram atos nesta sexta-feira (20) da Greve Mundial Pelo Clima. Mais de 150 países tiveram atividades pedindo ações para conter a mudança climática.

    A previsão é de que 20 Estados brasileiros façam parte do movimento, afirma o G1. Em São Paulo, a manifestação ocorre no vão do MASP. Já no Rio de Janeiro, o evento foi realizado na escadaria da Assembleia Legislativa.

    Os atos desta sexta aconteceram das Ilhas Salamão até Wall Street. Milhões de estudantes e trabalhadores abandonaram escolas e escritórios para exigir ações urgentes para parar o aquecimento global, juntando-se a uma greve mundial inspirada pela ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos.

    As manifestações iniciadas nas ilhas do Pacífico acompanharam o nascer do sol na Austrália, Japão, sudeste da Ásia e depois na Europa, África, Oriente Médio e Américas.

    Multidões se reuniram na Europa, Oriente Médio e África, incluindo Londres, Paris, Bruxelas, Berlim, Varsóvia, Estocolmo, Helsinque, Beirute, Nairóbi e Cidade do Cabo.

    Thunberg, que ganhou destaque depois de atravessar o Atlântico em um iate livre de emissões de carbono antes da Cúpula sobre Ação Climática da ONU, participou da manifestação em Nova York.

    "Ela é como o ícone da nossa geração", disse Fiamma Cochrane, 17 anos, sobre Thunberg.

    Segundo os organizadores, por volta do meio dia em Nova York, o número global de manifestantes era de 3 milhões de pessoas.

    Mais:

    Uma cadeira vazia no evento sobre clima do G7: Trump
    ONU veta discurso do Brasil na cúpula do Clima
    Novo estudo pode explicar mistério do clima de Vênus, sugerindo presença de vida no planeta
    Greve Global Pelo Clima contagia multidões pelo mundo e toma conta do Twitter
    Tags:
    greve, Brasil, ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar