23:28 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante o discurso no Palácio do Planalto, 1º de agosto de 2019

    Bolsonaro recusa 20 milhões de euros oferecidos pelo G7 contra incêndios na Amazônia

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    121011
    Nos siga no

    Nesta segunda-feira (26), o governo brasileiro afirmou que irá recusar a oferta de 20 milhões de euros do G7 em ajuda aos combates a incêndios na Amazônia.

    Segundo publicou o jornal O Estado de São Paulo, o governo do presidente Jair Bolsonaro não justificou a recusa.

    Mais cedo, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que a ajuda do G7 seria bem vinda.

    Anteriormente, o presidente francês, Emmanuel Macron, declarou que o G7 disponibilizará 20 milhões de euros (cerca de R$ 91 milhões) para combater os fogos que estão assolando as florestas na Amazônia.

    Bolsonaro tem colocado em dúvidas os dados a respeito dos incêndios na Amazônia, assim como sobre desmatamento. No caso dos incêndios, tem afirmado que a situação está dentro da normalidade.

    A crise em torno da Amazônia chamou a atenção mundial na semana passada. O presidente da França, Emmanuel Macron, colocou a questão em pauta durante reunião do G7 no sábado (24). Da reunião, saiu a decisão de enviar ajuda financeira para o combate aos incêndios.

    Presidente francês Emmanuel Macron gesticula ao falar à imprensa após uma sessão plenária no centro de Bellevue, em Biarritz, França, 25 de agosto de 2019
    © REUTERS / Ludovic Marin/Pool
    Presidente francês Emmanuel Macron gesticula ao falar à imprensa após uma sessão plenária no centro de Bellevue, em Biarritz, França, 25 de agosto de 2019

    Já nesta segunda-feira (26), após piadas e insultos de ministros brasileiros e da própria página de Bolsonaro, Macron afirmou que espera que em breve o Brasil "tenha um presidente à altura do cargo".

    Na sexta-feira (23), o presidente brasileiro fez um pronunciamento à nação afirmando que empregaria "tolerância zero" contra crimes ambientais. Ele anunciou que utilizaria as Forças Armadas no combate aos incêndios na região. O pronunciamento se deu em meio a protestos no Brasil e no mundo. 

    O Ministério da Defesa afirma que há 2,7 mil militares na região amazônica trabalhando no controle dos incêndios e que a situação está controlada.

    Mais:

    Bolsonaro se pronuncia sobre Amazônia e é recebido com 'panelaços' pelo Brasil (VÍDEOS)
    Em pronunciamento, Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas contra incêndios amazônicos
    G7 ajudará 'o mais rápido possível' países afetados pelas queimadas na Amazônia
    Fogo na Amazônia é maior crise do governo Bolsonaro, diz cientista político
    Tags:
    Brasil, França, Ricardo Salles, Emmanuel Macron, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar