06:49 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Ministro da Economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes

    Paulo Guedes ameaça abandonar governo se reforma da Previdência for 'desidratada'

    © Foto : Fernando Frazão/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    25154

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou nesta quinta-feira (14) da cerimônia de posse do novo presidente do Banco Central e surpreendeu os presentes ao insinuar que poderia deixar o governo se reforma da Previdência fosse muito alterada.

    De acordo com ele, o sistema atual está falido e que se a reforma for "desidratada" ele pode sair do governo. “Estamos num sistema (previdenciário) de repartição que quebrou. Faliu antes de a população envelhecer. Vocês querem trazer seus filhos para isso?”, disse. 

    De acordo com a expectativa do governo federal, a aprovação da reforma pode geral uma economia de R$ 1,1 trilhão aos cofres públicos em 10 anos.

    “Se der acima de R$ 1 trilhão, eu digo que estamos numa geração de pessoas responsáveis e têm a coragem de assumir o compromisso de libertar filhos e netos de uma maldição previdenciária. Se botarem menos, eu vou dizer assim: ‘Eu vou sair daqui rápido, porque esse pessoal não é confiável. Não ajudam nem os filhos; então, o que será que vão fazer comigo?’”, acrescentou o ministro.

    De acordo com parte do público presente na cerimônia, não ficou claro se a declaração de Guedes sobre uma possível saída do governo foi em tom sério, tendo em vista que o ministro teria feito diversas piadas durante o discurso. 

    Mais:

    'Eles impõem parceria na força', diz analista sobre negociação da reforma da Previdência
    Reforma da Previdência pode ser aprovada em junho, diz Onyx Lorenzoni
    Senado pode votar proposta da Previdência até julho, diz presidente da Casa
    Reforma da Previdência: o que muda na vida dos trabalhadores?
    Bolsonaro estreia na cadeia de rádio e TV prometendo 'reforma da Previdência justa'
    Tags:
    Previdência Social, economia, Paulo Guedes, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar