23:51 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, durante encontro de trabalho em Belo Horizonte.

    Ministro do Meio Ambiente é acusado de bloquear contas de ONGs e ambientalistas no Twitter

    © Foto / Isac Nóbrega/PR/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    744
    Nos siga no

    O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, tem bloqueado ONGs e pessoas ligadas à causa ambiental no país, impedindo-os de acompanhar atualizações no Twitter. Entre os bloqueados estão o coordenador de campanhas do Greenpeace, Nilo D'Avila e o Observatório do Clima, informou o jornal O Estado de São Paulo.

    Salles, que é fundador do movimento "Endireita Brasil" e tem quase 46 mil seguidores na rede social, foi alvo de polêmica quando da sua escolha para comandar a pasta do meio-ambiente. Isso porque o ministro foi acusado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo de fraudar mapas relativos ao plano de manejo ambiental do Tietê enquanto atuava como secretário de Geraldo Alckmin.

    Pelo delito, o ministro foi condenado à suspensão dos direitos políticos por um prazo de três anos. Pela decisão — proferida pela 3ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo e passível de recurso —, Salles também deve pagar multa civil no valor equivalente a dez vezes o salário mensal que recebia no cargo de secretário, a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos. Como ocupa cargo eletivo e de confiança, porém, a condenação não afeta a capacidade de comandar um ministério.

    Ao Estadão, o ministro confirmou ter bloqueado contas. Ele se justificou dizendo que a "turma" do Observatório do Clima estava "tumultuando, ao invpes de debater". A ONG existe há mais de 16 anos e trabalha reportando dados sobre emissões de gases causadores do efeito estufa.

    Salles, porém, não soube precisar sobre quando ou o porquê de ter bloqueado D'Avila, embora tenha admitido bloquear perfis que considera "desrespeitosos".

    Tags:
    Ministério Público do Estado de São Paulo, Endireita Brasil, 3ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, Observatório do Clima, Greenpeace, Nilo D'Avila, Ricardo Salles, Geraldo Alckmin, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar