05:45 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    O presidente eleito, Jair Bolsonaro, em entrevista coletiva em Brasília

    Top 10: os acontecimentos mais marcantes do Brasil em 2018

    © Foto : Valter Campanato/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    Como foi o mundo em 2018 e o que prepara 2019 (11)
    3185

    A Sputnik Brasil preparou uma lista dos 10 acontecimentos mais marcantes do Brasil neste ano. Confira:

    Intervenção federal no Rio (e depois Roraima)

    Com a alegação do aumento da criminalidade durante o Carnaval, o presidente Michel Temer (MDB) utilizou um recurso nunca antes posto em prática da Constituição e decretou intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro em 16 de fevereiro.

    Com a medida, o general interventor Walter Souza Braga Netto passou a gerenciar a segurança pública do Estado. A intervenção tem data para acabar: 31 de dezembro. Mas a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que já estava em vigor no Rio antes da intervenção, deverá ser mantida para continuar utilizando as Forças Armadas na segurança fluminense.

    O recurso da intervenção federal foi utilizado novamente em 7 de dezembro por Temer — só que de maneira mais radical. Por decreto, a governadora Suely Campos (PP) foi afastada de suas funções e a posse do governador eleito Antônio Denarium (PSL) foi antecipada.

    Assassinato de Marielle

    Na noite de 14 de março, a vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes foram assassinados em um crime praticado de forma planejada e profissional. O episódio ainda não foi solucionado. 

    Crítica da violência e do uso das Forças Armadas na segurança pública, Marielle havia sido assessora do então deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), trabalhou na CPI das Milícias e foi eleita em 2016 com mais de 46 mil votos.

    Tanto o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, como o secretário de Segurança Pública do Rio, general Richard Nunes, admitem a participação de grupos milicianos no crime. Segundo estimativa do Ministério Público carioca, os grupos paramilitares de todo o Estado do Rio de Janeiro faturam cerca de R$ 1,5 bilhão por ano e controlam áreas em que vivem cerca de 2 milhões de pessoas.

    Lula preso

    O ex-presidente Lula (PT) foi preso em 7 de abril após o então juiz Sérgio Moro decretar sua prisão, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmar a pena e o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar prisão após decisão de 2° instância.

    Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo recebimento de propina da construtora OAS por meio da entrega e reforma de um apartamento no Guarujá, litoral de São Paulo.

    Posteriormente, o Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) solicitou que Lula participasse das eleições deste ano.

    Lula segue preso em Curitiba.

    Desabamento de prédio em São Paulo

    Nas primeiras horas da madrugada de 1° de maio, um prédio de 24 andares pegou fogo e desabou na região do Centro de São Paulo. O edifício era uma ocupação e lar de mais de 300 pessoas. O episódio deixou 7 mortos.

    A falta de de um lar adequado para muitos brasileiros ficou evidente em outro episódio ocorrido em Niterói em 10 de novembro. Deslizamento de terra no Morro da Boa Esperança causou a morte de 14 pessoas.

    Greve dos caminhoneiros

    Os caminhoneiros pararam o Brasil e colocaram o presidente Michel Temer (MDB) de joelhos em 21 de maio. A paralisação começou como um movimento contra a política de combustíveis da Petrobras e foi se alastrando, com alguns setores pedindo "intervenção militar".

    Com mercados desabastecidos e aeroportos sem combustível de norte a sul do país, Temer baixou o preço do diesel por medida provisória e atendeu demandas dos grevistas.

    Até mesmo o presidente da Petrobras, Pedro Parente, foi substituído por conta da pressão grevista. Ivan Monteiro foi colocado em seu lugar.

    Derrota do Brasil na Copa

    O hexa não veio dessa vez. Os brasileiros comandados por Tite caíram em Kazan diante da Bélgica por 2 a 1 no dia 6 de julho. Com o craque Neymar voltando de lesão e com atuações marcadas por disputas com a equipe de arbitragem, a seleção canarinho fez uma campanha pouco brilhante em solo russo.

    O campeonato terminou por coroar o bicampeonato francês e a estrela ascendente Kylian Mpabbé.

    Ursal

    A União das Repúblicas Socialistas da América Latina (URSAL) nunca aconteceu, mas os memes criados pela teoria conspiratória renderam. Citada pelo presidenciável Cabo Daciolo (Patriota) no primeiro debate presidencial no dia 9 de agosto, o suposto plano secreto ganhou as redes sociais.

    A própria autora do termo, a socióloga Lucia Victor Barbosa, admitiu em entrevista que a Ursal era uma ironia e que ganhou corpo após ser divulgada pelo guru da direita Olavo de Carvalho.

    Atentado contra Bolsonaro

    Em Juiz de Fora, Minas Gerais, o então presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) recebeu uma facada no abdômen de Adélio Bispo de Oliveira enquanto era carregado nos ombros por simpatizantes. Bolsonaro ficou entre a vida e a morte e foi operado em Minas e transferido posteriormente para São Paulo. O atentado aconteceu no dia 6 de setembro. 

    O autor do crime foi preso e afirmou ter esfaqueado Bolsonaro para cumprir uma uma "ordem de Deus". Adélio era servente de pedreiro e foi filiado ao PSOL de 2007 a 2014.

    Novo presidente

    Com mais de 57 milhões de votos, Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil ao derrotar Fernando Haddad (PT) no segundo turno no dia 28 de outubro. Após um primeiro turno com 13 candidatos, Bolsonaro polarizou o segundo turno com o PT e alegou razões médicas para não participar de debates.

    O político do PSL focou seu discurso no combate ao comunismo, o PT e a corrupção. O futuro presidente promete privatizar estatais, "desburocratizar" a economia, reduzir a carga tributária e também é um defensor da redução da maioridade penal.

    A eleição também foi marcada pela denúncia da Folha de S. Paulo de um esquema de caixa 2 para comprar o envio de mensagens favoráveis a Bolsonaro no WhatsApp por empresários.

    João de Deus

    O médium conhecido como João de Deus foi denunciado por abuso sexual no dia 8 de dezembro. Após as primeiras denúncias serem publicadas pelo jornal O Globo, o Ministério Público de Goiânia abriu uma linha para receber depoimentos de mulheres vítimas de violência. Já são mais de 600 denúncias.

    João de Deus está preso preventivamente e operação da Polícia Civil em uma de suas residências encontrou R$ 1,2 milhão em dinheiro vivo, pedras preciosas e armas de fogo.

    Tema:
    Como foi o mundo em 2018 e o que prepara 2019 (11)

    Mais:

    Bolsonaro se reúne com Netanyahu 4 dias antes de tomar posse
    Criticado por jornal cubano, Bolsonaro reage: 'se alimentaram de bilhões dos brasileiros'
    Bolsonaro quer acabar com Lei Rouanet 'financiando famosos'
    Bolsonaro deve se reunir com premiê israelense, Benjamin Netanyahu na sexta-feira
    Netanyahu não participará de posse de Bolsonaro, diz mídia
    Antes da posse de Bolsonaro, Netanyahu se mete em polêmica e antecipa eleições em Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar