05:08 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Exército na Rocinha

    Temer admite possibilidade de encerrar intervenção para votar Reforma da Previdência

    © Foto : Tânia Rêgo/Agência Brasil/ Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    Intervenção federal no Rio de Janeiro (45)
    213

    O presidente da República, Michel Temer, disse nesta terça-feira (13) que poderá encerrar a intervenção federal no Rio de Janeiro em setembro para que o governo possa voltar o foco para a discussão e a aprovação da reforma da Previdência ainda em 2018.

    Segundo o presidente, os últimos quatro meses do ano poderão ser usados para a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/2016 que trata das mudanças das regras previdenciárias.

    Temer participou da cerimônia de abertura da Sessão Plenária da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), na capital paulista. As informações são da Agência Brasil.

    "Nós decretamos a intervenção no Rio de Janeiro e, em face a intervenção, não se pode tramitar emendas à Constituição. Não é improvável, espero que seja assim, que até setembro, mais ou menos, as coisas estejam entrando nos eixos no Rio de Janeiro, e eu possa fazer cessar a intervenção. Se fizer cessar, ainda tenho uma parte de setembro, de outubro, novembro, dezembro, para aprovar a reforma da Previdência", disse.

    O Artigo 60 da Constituição Federal veta qualquer emenda à Carta Magna, como é o caso da PEC da reforma da Previdência, em caso de uma intervenção federal.

     

    Tema:
    Intervenção federal no Rio de Janeiro (45)

    Mais:

    'Sem mágica': Intervenção no Rio terá resultados em 4 meses, diz Jungmann
    Após crítica da ONU, Justiça Global comenta intervenção no Rio: 'Possibilidade de chacina'
    Intervenção na segurança do Rio ainda não apresentou planos, diz líder do setor hoteleiro
    Intervenção federal deixará legado para a segurança pública no Rio?
    Tags:
    intervenção federal, Michel Temer, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik