15:37 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, é visto quando o hino nacional brasileiro é interpretado durante cerimônia que marcou o fim oficial da missão pacificadora do Brasil no Haiti

    'Sem mágica': Intervenção no Rio terá resultados em 4 meses, diz Jungmann

    © AP Photo / Dieu Nalio Chery
    Brasil
    URL curta
    1031

    Os resultados concretos da Intervenção Federal Militar no Rio de Janeiro surgirão em cerca de quatro meses, afirmou o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Segundo ele o prognóstico é do própro interventor federal no estado, o general Walter Braga Netto.

    "Em conversas com o interventor Braga Netto, ele me dizia que, num espaço de até quatro meses, ele calcula, serão sentidas as mudanças pela população. Isso não quer dizer que terá passe de mágica", teria dito o Ministro, conforme divulgou o https://www.huffpostbrasil.com/2018/03/09/populacao-do-rio-sentira-mudancas-na-seguranca-em-ate-4-meses-diz-jungmann_a_23381912/?utm_hp_ref=br-homepage#mce_temp_url#.

    Em fevereiro, o governo de Michel Temer decretou a intervenção sobre o Rio de Janeiro, atendento a pedidos do próprio governador do estado. A polêmica decisão está prevista para durar até o dia 31 de dezembro de 2018.

    A medida dá ao interventor Braga Netto, poderes sobre as polícias, bombeiros, e sobre a administração penitenciária do estado. O Rio de Janeiro tem cerca de 51 mil presidiários.

    A medida é inédita no período democrático brasileiro.

    Diante da alegada continuidade da violência no Rio de Janeiro e de denúncias de violações de direitos nas comunidades do Rio, o ministro Raul Jungmann pediu paciência "porque 20 dias não permitem construir a sensação de segurança que queremos", teria dito o ministro.

    Ele ainda teria afirmado que movimentos internos já estão sendo feitos, mas não são vistos pela população, como no caso da resstruturação das polícias.

    Jungmann também falou sobre oerações realizadas no bairro Vila Kennedy, que vem sendo qeustionadas. Nos últimos dias, o Exército teria enviado 1.400 homens das Forças Armadas ao local com o objetivo de desmontas baarricadas montadas por traficantes. No entanto, no dia seguinte as coisas voltam ao mesmo ponto.

    O ministrou assegurou que as ações no bairro seriam uma espécie de "laboratório" de estratégias que serão utilizadas em todo o estado e que a inisistência em desmontar as barricadas seria uma forma de mandar uma mensagem aos traficantes para que não pensem em resistir.

    Jungmann e Netto, falaram com a imprensa após se reunirem com deputados federais do estado de vários partidos que exigiram transparência nas decisões que estão sendo tomadas.

    Alessandro Molon divulgou em suas redes sociais o encontro.

    ​Ele estaria estudando proposta de mudanças na legislação brasileiras para que haja uma distinção mais clara entre traficantes e usuários. A atual legislação coloca essa decisão nas mãos de juízes, o que tem prejudicado jovens pobbres e negros, encarcerados sem necessidade. Isso teria efeito direto na superlotação das cadeias no Brasil. Hoje, o país tem a terceira maior população carcerária do mundo, com 726.712 presos, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 

    Mais:

    Intervenção na segurança do Rio ainda não apresentou planos, diz líder do setor hoteleiro
    Intervenção federal deixará legado para a segurança pública no Rio?
    'Rio é um laboratório para o Brasil', diz general Braga Netto sobre intervenção
    Tags:
    encarceramento em massa, super encarceramento, tráfico de drogas, Intervenção Federal no Rio de Janeiro, Walter Souza Braga Neto, Raul Jungmann, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik