18:26 15 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Os procuradores da Lava Jato pedem que a sociedade diga não ao Projeto de Lei de Abuso de Autoridade dos Senadores Renan e Requião

    Procurador alerta para 'esmagamento' da Lava Jato após julgamento de Temer no TSE

    Reprodução Vídeo
    Brasil
    URL curta
    1723
    Nos siga no

    Integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima não escondeu o desagrado causado pela decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em absolver a chapa presidencial de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB).

    Ele usou a sua página no Facebook para criticar a decisão e, de quebra, alertar para um possível “esmagamento” da operação daqui para frente.

    “’Há vitórias que exaltam, outras que corrompem; derrotas que matam, outras que despertam’. Façamos dos acontecimentos de hoje um despertar de nossa força cívica. Eles não venceram realmente, mas apenas se revelaram nos seus interesses mesquinhos. De agora em diante todos sabem o que pretendem. Todos conhecem seus corações secos e seus desejos abjetos. Vamos todos lutar para que não consigam esmagar nossa esperança de um Brasil melhor”.

    Ainda mais direto do que Lima foi o seu colega na força-tarefa da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol. Ao compartilhar uma notícia, ele destacou que “o governo PMDB-PSDB declara guerra aberta à Lava Jato”. “O final dessa história está, mais uma vez, nas mãos da sociedade”.

    Por 4 a 3, os ministros do TSE decidiram pela absolvição da chapa Dilma-Temer, não vendo indícios de abuso de poder econômico por parte da campanha presidencial que venceu as eleições de 2014.

    Os mesmos ministros que votaram a favor da absolvição se negaram a aceitar as delações da Odebrecht como provas na análise da culpabilidade da chapa, ao contrário do entendimento do relator, ministro Herman Benjamin.

    Mais:

    Teria a Abin, a 'pedido' de Temer, espionado o relator da Lava Jato?
    Salvo pelo TSE, chances de Temer de concluir o mandato sobem de 40 para 70%
    'Injustiçado', Michel Temer se recusa a responder perguntas da PF
    Tags:
    odebrecht, corrupção, política, Operação Lava Jato, PGR, MPF, STF, TSE, Gilmar Mendes, Herman Benjamin, Michel Temer, Deltan Dellagnol, Carlos Fernando de Souza Lima, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar