17:11 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    LAAD DEFESA & SEGURANÇA 2017 (13)
    0152
    Nos siga no

    A Federação Sul-Americana de Krav Maga está apresentando para os visitantes da feira de defesa e segurança LAAD seus módulos de treinamento voltados para públicos específicos, incluindo um de combate ao terror, que, pela primeira vez, é oferecido também para civis.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o grão-mestre Kobi Lichtenstein, introdutor e maior autoridade dessa luta na América Latina, explicou que cada curso possui características muito bem delimitadas em função da finalidade de cada grupo. 

    Exercício anti-terrorismo de forças especiais brasileiras
    Gilberto Alves/Ministerio da Defesa
    "Você aprende as matérias específicas para a necessidade da sua função, dependendo do armamento que você usa, equipamento que você usa, ambiente de operação, tipo de inimigo e objetivo da operação. A gente não treina todo mundo igual", afirmou. 

    Na preparação antiterror, que foi a mesma aplicada às tropas dos Comandos Anfíbios da Marinha do Brasil antes dos Jogos Olímpicos de 2016, a federação divide o curso em uma parte teórica e outra prática, com conteúdos igualmente importantes, segundo o mestre. A teoria, considerada essencial para o aluno desenvolver sua ação em uma possível situação real no futuro, abrange a história do terror, o cenário atual, o ciberterrorismo e as atuais tecnologias de combate, entre outros. 

    "Para poder combater qualquer tipo de terror, ou de crime, você tem que saber o que ele (o inimigo) pensa, o que ele acha, como ele vive, como se comporta, sua mentalidade etc. Aí, você tem condições de prever quais serão suas ações… E, assim, você consegue se preparar para isso", disse o mestre Kobi, destacando a importância do aprendizado teórico no curso de combate ao terror. 

    Tema:
    LAAD DEFESA & SEGURANÇA 2017 (13)

    Mais:

    Putin passa fim da semana praticando judô (vídeo)
    Tags:
    Brasil, Israel, Rio de Janeiro, Kobi Lichtenstein, luta, terrorismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar