06:51 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Fernando Mac Dowell com Crivella ao tomar posse dia 1º de 2017

    Nova gestão da Prefeitura do Rio coloca empresas de ônibus na geladeira sobre tarifa

    Fernando Frazão/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    160
    Nos siga no

    O novo Vice-Prefeito e Secretário de Transportes do Rio, Fernando Mac Dowell afirmou após tomar posse, que nada ainda foi resolvido sobre o reajuste nas tarifa de ônibus na cidade, colocando na geladeira as empresas de transportes do Rio, que esperavam aumento no primeiro dia de 2017.

    Fernando Mac Dowell disse que vai primeiro conversar com o sindicato  das Empresas de Ônibus, Rio Ônibus, garantindo que por enquanto não haverá aumento no preço das passagens para a população. Segundo o secretário, primeiro é preciso estudar melhor a tarifa.

    "Por enquanto não. Eu vou mostrar a eles, vou fazer uma reunião com eles. Eles eram permissionários, hoje eles são concessionários,  igual ao Metrô do Rio, a Supervia. Não adianta formuletinha lá, que agora deu isso ou aquilo, não é assim não. Por exemplo, boa parte não colocou ar condicionado, a tarifa desceu? Não. O Brt tem um sistema que reduz o custo operacional em 31%, alguém reduziu o custo, como a Colômbia faz?"

    Na última sexta-feira (30), o agora ex-Prefeito do Rio, Eduardo Paes emitiu uma nota afirmando que a tarifa ia ser reajustada para R$ 3,95 no início de 2017 cumprindo assim o contrato assinado com as concessionárias.

    Entre os 80 decretos assinado pelo novo Prefeito do Rio Marcelo Crivella no dia que tomou posse, um determina que a Secretaria Municipal de Transportes elabore um plano para incluir o metrô no programa de Bilhete Único Carioca. 

    Para Fernando Mac Dowell, a população do Rio tem pago muito caro ao usar o metrô e o ônibus, portanto, segundo o vice-prefeito é necessário se fazer a matemática correta, sem conversa mole.  "No Metrô e em um ônibus você paga muito caro. Isso tudo tem que ser bem estudado, é uma matemática, não é blá blá blá, e com isso nós conseguimos resolver esses problemas."

    O Sindicato das Empresas de Ônibus, Rio Ônibus, lamentou que a nova gestão da prefeitura não tenha respeitado o contrato de concessão assinado em 2010. Segundo o sindicato, é o contrato que garante a segurança jurídica necessária para dar continuidade aos investimentos feitos pelos consórcios.

    As concessionárias afirmam ainda, que o reajuste anual da tarifa representa a recomposição de custos e obrigações assumidas ao longo do ano, como combustível e a mão de obra.


    Tags:
    passagens, reajuste, discussão, ônibus, Rio Ônibus, Secretaria Municipal de Transportes do Rio de Janeiro, Fernando Mac Dowell, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar