12:50 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Marcelo Odebrecht

    Marcelo Odebrecht revelará como contribuiu de forma ilícita para diversos políticos

    Cicero Rodrigues/ World Economic Forum/Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    657670

    Em depoimento que durou dez horas na última quinta-feira, 4, em Curitiba, o empresário Marcelo Odebrecht revelou a quatro Procuradores da República que vai explicar, em detalhes, como realizou pagamentos ilícitos a políticos de diversos partidos. Foi a primeira vez em que o empresário se reuniu com os membros do Ministério Público Federal.

    A reunião marcou mais uma tentativa de viabilizar um acordo de delação premiada, que vem sendo negociado desde maio pelos advogados do empresário com os Procuradores.

    Os membros do Ministério Público Federal querem saber a motivação da Odebrecht para fazer as transferências aos políticos e aos seus partidos: se caixa dois de campanha ou propina ligada à vitória em licitações para realização de obras públicas pelas empresas do grupo.

    A avaliação dos Procuradores é de que a proposta apresentada é “satisfatória”, mas ainda depende de documentação e detalhamento dos fatos.

    Além de Marcelo Odebrecht deverão prestar o chamado Termo de Colaboração cerca de 51 executivos e gerentes do grupo comandado por Marcelo Odebrecht, herdeiro de um dos maiores empresários do país, Emílio Odebrecht.

    O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, coordena os entendimentos que vêm sendo mantidos pelos Procuradores com Marcelo Odebrecht. A estima é de que, pelo menos, 90 temas foram apresentados à Procuradoria-Geral da República, e Marcelo Odebrecht deverá detalhar cada um destes temas.

    Juiz federal Sérgio Moro
    Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil/FotosPúblicas
    O grupo Odebrecht promete apresentar provas que envolvem o recebimento de vantagens indevidas (propinas) por parte de integrantes do governo federal, 35 senadores, 13 governadores e dezenas de prefeitos. Isto será feito com as sucessivas revelações de como funcionava e a quem beneficiava o Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, departamento criado pelo grupo empresarial que ficou conhecido como “diretoria da propina”. Como já se tornou de conhecimento público, o Setor de Operações Estruturadas foi criado pela Odebrecht para repassar valores a políticos.

    Mais:

    Justiça cobra do BNDES detalhes de financiamento para obras do Porto de Mariel, em Cuba
    Dilma nega conversa com Odebrecht sobre propina e vai entrar na Justiça sobre acusações
    Para consultor, autonomia da Polícia Federal será prova de fogo para governo Temer
    Tags:
    corrupção, Odebrecht, Rodrigo Janot, Marcelo Odebrecht, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik