15:05 21 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Presidente interino da Câmara dos Deputado Waldir Maranhao concede entrevista
    Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

    Lideranças se articulam para escolher candidato que vai disputar a Presidência da Câmara

    Brasil
    URL curta
    0 01

    Depois da briga para acordar o dia da votação, marcada para esta quarta-feira (13), às 16h, para definir o novo presidente da Câmara dos Deputados, o impasse agora gira em tornos das alianças políticas na escolha de candidatos para substituir Eduardo Cunha, que renunciou na última quinta-feira (7) à Presidência da Casa.

    Quem for eleito vai cumprir o mandato até fevereiro de 2017. 

    O Presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA)  disse à imprensa nesta terça-feira (12), que espera que o bom senso prevaleça na eleição, para que a Câmara volte a se organizar.

    "O ideal nem sempre nós temos, mas o bom senso vai prevalecer. A Casa precisa se reencontrar. A Casa precisa  contribuir cada vez mais para o País. Acho que é um bom momento para fazermos as nossas avaliações."

    Mais de dez deputados já se candidataram para o cargo, e o prazo para a inscrição contínua aberto até o meio dia desta quarta-feira (13). Para Maranhão, a democracia permite que todos se manifestem.

    "Esta Casa é plural. Esta Casa tem o legítimo direito de poder se fazer presente na vida do Parlamento, da sociedade."

     

    Um dos candidatos favoritos para ocupar a presidência da Câmara é o deputado do Distrito Federal, do PSD, que foi o presidente da Comissão do Impeachment na Câmara, Rogério Rosso. O parlamentar é candidato pelo lado do Centrão, grupo de partidos aliados a Eduardo Cunha, mas que também forma a base de apoio do presidente interino Michel Temer, no Palácio do Planalto. 

    Para o líder do Democratas na Câmara, deputado Pauderney Avelino, Rogério Rosso poderá ser uma continuação de Eduardo Cunha a frente da Casa, por isso, a antiga oposição, que hoje é da base governista, quer eleger um deputado próprio.

    "Há quem acredite que a candidatura do deputado Rosso é uma candidatura ligada a ele (Cunha). Nós não vamos apoiar o candidato Rosso. Estamos buscando a unidade dentro desses partidos da antiga oposição, e obviamente, buscando apoios em todos os partidos."

    Outro favorito a ex-cadeira de Eduardo Cunha, é o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que também representa os partidos da antiga oposição.

    A atual oposição ainda não não chegou a um nome em consenso, mas o PSOL, registrou a candidatura da deputada Luiza Erundina.

    Conforme os ritos estabelecidos para a votação nesta quarta-feira (13),  vão ser aceitas candidaturas de qualquer bancada representada na Câmara e também candidaturas individuais. 

    A Câmara vai usar a urna eletrônica na eleição do novo presidente. Conforme estabelece o regimento da Casa, o voto será secreto. 

    A ordem em que os nomes dos candidatos aparecerão na urna eletrônica será sorteada às 13 horas da quarta-feira. Cada candidato terá 10 minutos para fazer um discurso no Plenário apresentando as suas propostas.

    Caso nenhum deputado consiga obter a maioria dos votos dos deputados presentes no primeiro turno, que são 257 votos, a eleição para presidente da Câmara terá segundo turno entre os dois mais bem votados. A votação acontecerá uma hora depois do encerramento da primeira votação, e cada candidato terá novamente 10 minutos para falar.

    Em caso de empate, será eleito o candidato mais idoso dentre os de maior número de legislaturas na Casa.

     

    Tags:
    Presidência da Câmara, eleição, Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, Pauderney Avelino, Rogério Rosso, Eduardo Cunha, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar