16:58 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Juiz federal Sérgio Moro

    Moro: ‘Prisão não basta para combater corrupção’

    Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    26154

    O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação da Operação Lava Jato, disse, neste sábado, que a prisão de investigados não basta para combater a corrupção no país, segundo informou a Agência Brasil.

    De acordo com o juiz, também é necessário recuperar os valores desviados pelos criminosos, por meio de acordos de cooperação internacional ou de delação premiada. Moro participou, na manhã deste sábado, de uma conferência sobre combate à corrupção em João Pessoa.

    O juiz destacou a importância dos acordos de cooperação internacional, principalmente com a Suíça, para repatriar ao Brasil recursos desviados da Petrobras para contas secretas no exterior. O juiz citou o caso de Pedro Barusco, ex-gerente da estatal e um dos delatores do esquema de corrupção, que tinha cerca de U$S 100 milhões depositados fora do país e devolveu a quantia após assinar um acordo de delação.

    Segundo o magistrado, somente a pena de prisão não é suficiente para combater os desvios na Petrobras. "Hoje em dia, isso não é suficiente, também é necessário a recuperação do produto do crime. Não basta a punição, a sanção corporal, a pena privativa de liberdade. É necessário fazer com que o crime não compense financeiramente. Isso significa a necessidade de retirar do criminoso o produto de sua atividade."

    De acordo com levantamento da Procuradoria-Geral da República (PGR), foram repatriados para o Brasil até o momento R$ 2,9 bilhões por meio de acordos de colaboração no âmbito da Lava Jato.


    Mais:

    Sarney é flagrado prometendo ajudar ex-presidente da Transpetro a se livrar de Moro
    STF mantém decisão que tirou de Sérgio Moro investigações sobre Lula
    Dois pesos, duas medidas: Moro decreta sigilo sobre superplanilha da Odebrecht
    Tags:
    prisão, corrupção, Operação Lava Jato, Agência Brasil, Sérgio Moro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik