15:52 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    61217
    Nos siga no

    Na opinião de Teodoro Locsin Jr., ministro das Relações Exteriores das Filipinas, a aliança militar entre os EUA, Reino Unido e a Austrália permite responder "a uma ameaça à região ou a um desafio ao status quo".

    Teodoro Locsin Jr., ministro das Relações Exteriores das Filipinas, manifestou apoio à aliança de segurança que a Austrália, os EUA e o Reino Unido acordaram na quarta-feira (15) para combater a influência da China na região do Indo-Pacífico.

    "A proximidade encurta o tempo de resposta, aumentando assim a capacidade militar de um amigo próximo e aliado da ASEAN [sigla inglesa da Associação de Nações do Sudeste Asiático] de responder de forma oportuna e proporcional a uma ameaça à região ou a um desafio ao status quo", afirmou no domingo (19) o alto responsável, citado na terça-feira (21) pelo jornal The Philippine Star.

    Locsin Jr, conhecido nas Filipinas como Teddy Boy, argumentou que os Estados-membros da ASEAN não possuem os meios militares para manter a paz e a segurança no sudeste asiático.

    "Estamos bem conscientes da grande dinâmica de poder; com um olhar aguçado nos engajaremos em uma cooperação prática e mutuamente benéfica alinhada com as áreas prioritárias [...]", acrescentou ele.

    Na quarta-feira (15), os EUA, o Reino Unido e a Austrália anunciaram um novo pacto de defesa, AUKUS, que procura combater a influência da China na região Indo-Pacífico, e cuja primeira fase prevê a construção de oito submarinos movidos a energia nuclear para a Marinha da Austrália.

    Na quinta-feira (16) Scott Morrison, primeiro-ministro australiano, anunciou que o país estava quebrando um contrato de 90 bilhões de dólares australianos (R$ 347,26 bilhões, na cotação atual) de submarinos convencionais com o Grupo Naval da França, uma decisão que Paris descreveu como "facada nas costas".

    A China advertiu que os planos de armar a Austrália com submarinos nucleares provocarão uma corrida armamentista e prejudicarão a paz e a estabilidade na Ásia.

    Mais:

    Moscou: aliança AUKUS coloca em risco toda arquitetura de segurança na Ásia
    EUA e aliados devem praticar 'dissuasão integrada' no Indo-Pacífico contra China, diz Pentágono
    Londres quer 'mostrar músculos' enviando navios de guerra para Indo-Pacífico, diz Pequim
    Tags:
    Filipinas, EUA, Austrália, Reino Unido, China, Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), Indo-Pacífico, AUKUS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar