12:38 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    140
    Nos siga no

    A intenção da Coreia do Sul e dos EUA realizarem exercícios militares conjuntos em agosto é "um prelúdio indesejável" que contradiz a vontade de recuperar "confiança mútua" na península, segundo a irmã de Kim Jong-un.

    Os exercícios Coreia do Sul-EUA previstos para agosto prejudicarão as relações entre as duas Coreias e minarão a intenção dos líderes de restaurar a confiança mútua, disse no domingo (1º) Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un e vice-diretora de departamento do Partido dos Trabalhadores da Coreia.

    "Há alguns dias venho ouvindo uma história desagradável de que exercícios militares conjuntos entre o Exército sul-coreano e as forças dos EUA poderiam ir adiante como previsto [...] Vejo isso como um prelúdio indesejável, que mina seriamente a vontade dos principais líderes do Norte e do Sul que desejam ver um passo em direção à recuperação da confiança mútua, e que enubla ainda mais o caminho à frente das relações Norte-Sul", disse Kim, citada pela agência norte-coreana KCNA.

    "Nosso governo e militares estarão atentos se o lado sul-coreano organiza exercícios de guerra hostis em agosto ou toma outra decisão ousada. Esperança ou desespero? A escolha não é nossa", disse ela.

    O Ministério da Unificação da Coreia do Sul anunciou na segunda-feira (2), citado pela Agência de Notícias Yonhap sul-coreana, que os exercícios Coreia do Sul-EUA "não devem ser usados como uma oportunidade para aumentar tensões na península coreana sob nenhuma circunstância", e que Seul está abordando o assunto "com sabedoria e flexibilidade".

    O Ministério da Defesa da Coreia do Sul tem estado em conversações com os EUA sobre quando e onde realizar exercícios anuais de verão para não prejudicar as relações com o Norte. Nos últimos anos, os exercícios têm sido realizados através de simulações computadorizadas.

    Na terça-feira (27) Seul e Pyongyang concordaram em restaurar os canais de comunicação, pouco mais de um ano após a Coreia do Norte ter explodido um escritório de ligação conjunto perto da cidade fronteiriça de Kaesong. De acordo com Kim Yo-jong, isso não deve ser visto como algo mais do que uma "reconexão física", e que é uma "opinião precipitada e prematura" assumir que uma cúpula entre as duas Coreias está perto de ocorrer ou de acontecer.

    Mais:

    Kim Jong-un exorta o Exército norte-coreano a estar pronto ante exercícios entre EUA e Coreia do Sul
    Washington quer retomar diálogo com Pyongyang sobre desnuclearização, diz mídia
    EUA, Japão e Coreia do Sul enviam mensagem 'crítica' à Coreia do Norte, diz diplomata americana
    Tags:
    Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA, KCNA, Yonhap, Ministério da Unificação, Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Kim Yo-jong
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar