18:16 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 141
    Nos siga no

    O país implementou no final da década de 1970 uma política que limitava os nascimentos a um filho por família nas cidades, mas ultimamente tem registrado uma quebra na natalidade.

    As autoridades chinesas decidiram suspender todas as restrições de controle da natalidade, incluindo as multas, permitindo que os casais tenham um terceiro filho, disse o Conselho de Estado da China em uma declaração.

    "Abolir todas as medidas restritivas [...] Abolir os pagamentos de subsídios sociais, eliminar e anular as multas relevantes", recomendou o Conselho de Estado da China.

    Segundo o órgão, a implementação da política de três filhos requererá que a Lei da População e de Planejamento Familiar da República Popular da China seja emendada para incentivar o casamento e a natalidade em idades apropriadas.

    "Até 2025 [é necessário] principalmente estabelecer um sistema de política ativa de apoio à natalidade, preparar um sistema de gestão de serviços, melhorar acentuadamente o nível de serviços pré-natais, obstétricos e pós-natais, reduzir acentuadamente os custos dos partos, cuidado, educação e instrução, e elevar adequadamente a taxa de natalidade", aponta um documento publicado na terça-feira (20) pelo Conselho de Estado da China.

    Há também planos para abordar os desequilíbrios de gênero e otimizar a estrutura demográfica e a qualidade da população.

    Política de natalidade da China

    O Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista da China anunciou em maio de 2021 que as autoridades pretendiam relaxar as políticas de controle de natalidade, inclusive permitindo que os casais tivessem um terceiro filho.

    De acordo com o último censo da China, a idade média da população é de 38,8 anos, mas o maior problema para o país é a porcentagem crescente de pessoas com mais de 60 anos, havendo já 264 milhões (18,70%) de idosos na China continental, incluindo 190 milhões (13,50%) com mais de 65 anos de idade.

    Os problemas demográficos, tais como o desequilíbrio de gênero e o envelhecimento da população, foram causados pela política chinesa de Uma Família, Uma Criança, introduzida no final dos anos 1970, que apenas autorizava as famílias nas cidades a terem um filho, ou dois nas zonas rurais se o primeiro filho fosse uma menina.

    Em 2013 as autoridades chinesas flexibilizaram a política de natalidade, passando a ser permitido um segundo filho para casais onde pelo menos um dos cônjuges fosse filho único em sua família. Desde 2015 que todas as famílias na China podem ter um segundo filho.

    Mais:

    Atrasada na vacinação? China responde a críticas: 65 milhões de doses administradas
    China diz que fornecerá vacinas contra COVID-19 gratuitamente
    Xi Jinping diz que China vai aumentar esforços para conter 'separatismo' no Tibete
    Tags:
    China, Partido Comunista, Partido Comunista da China, República Popular da China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar