10:45 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4120
    Nos siga no

    Balanço de importações e exportações totais da China aumentou 28,5% apenas nos primeiros meses de 2021 em comparação ao ano passado. Trata-se de quantia avaliada em cerca de R$ 9,5 trilhões em transações comerciais entre janeiro e abril.

    As importações e exportações totais da China aumentaram 28,5% ano a ano para 11,62 trilhões de yuanes (cerca de R$ 9,5 trilhões) nos primeiros quatro meses de 2021, de acordo com dados da Administração-Geral de Alfândega (GAC, na sigla em inglês) chinesa divulgados nesta sexta-feira (7). Isso representa um aumento de 21,8% em relação ao nível pré-epidemia em 2019, disse a GAC.

    As exportações aumentaram 33,8% entre janeiro e abril em relação ao ano de 2020, enquanto as importações aumentaram 22,7%. O superávit comercial aumentou 149,7%, atingindo 1,02 trilhão de yuanes (cerca de R$ 830 milhões) somente no período de janeiro a abril, de acordo com Xinhua.

    As importações e exportações do gigante asiático totalizaram 3,15 trilhões de yuanes (mais de R$ 2,5 milhões) somente em abril. Isso marca um aumento ano a ano de 26,6% e um crescimento mês a mês de 4,2%.

    Em abril, o superávit comercial diminuiu 12,4% em relação ao ano anterior. Entretanto, considerando os primeiros quatro meses, a Associação das Nações do Sudeste Asiático continuou sendo o maior parceiro comercial da China; com taxa de crescimento de 27,6%, seguido pela União Europeia; que teve aumento de 32,1%, e pelos Estados Unidos; com taxas de crescimento do valor comercial da China de 50,3%.

    O comércio da China com os países ao longo da Rota da Seda aumentou 24,8% ano a ano e bateu o total de 3,43 trilhões de yuanes (perto de R$ 2,8 trilhões). As empresas privadas contribuíram com 47,2% do comércio exterior total da China nos primeiros quatro meses deste ano, um aumento de 4,1 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

    Mais:

    Zimbábue negocia importação de vacinas contra a COVID-19 com China, Rússia e Índia
    Fiocruz passará a produzir insumo a partir de agosto e deixará de depender de importação da China
    China aumenta importação de soja dos EUA em 320% e reduz do Brasil
    Tags:
    Rússia, China, EUA, exportações, importações
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar