02:26 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    11673
    Nos siga no

    Criado em 2007, o Diálogo de Segurança Quadrilateral (Quad, na sigla em inglês) se manteve relativamente inativo até 2017, quando os EUA, sob a presidência de Donald Trump, começaram a desafiar a China mais enfaticamente.

    Os EUA exortaram a Coreia do Sul a aderir ao grupo Quad, que conta com a participação dos EUA, Japão, Austrália e Índia e, entre outras coisas, visa combater a expansão chinesa no Indo-Pacífico.

    Segundo fontes do governo do Japão ouvidas pelo jornal Yomiuri, a proposta foi feita em 2 de abril pelo Conselheiro de Segurança Nacional norte-americano, Jake Sullivan, durante reunião com seus congêneres sul-coreanos e japoneses, Suh Hoon e Shigeru Kitamura, respectivamente.

    Por sua vez, ainda de acordo com a mídia, Seul teria ressaltado que sua posição é não participar de alianças dirigidas contra um determinado país. "A Coreia do Sul até agora insistiu em não fazer parte de nenhuma estrutura regional que vise combater um determinado país", disse Choi Jong-kun, vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul.

    "Basicamente concordamos, mas queremos que vocês [EUA e Japão] entendam nossa posição", acrescentou Suh Hoon, expressando sua recusa em participar do "cerco à China", dizem as fontes do jornal.

    No encontro, realizado no estado norte-americano de Maryland, também ficou destacada a divergência entre EUA e Coreia do Sul sobre a abordagem com a Coreia do Norte. Seul deseja uma rápida retomada das negociações entre Washington e Pyongyang. No entanto, os EUA afirmam que não manterão "diálogos imprudentes como o governo Trump fez no passado".

    Militar observa o horizonte na casa do piloto enquanto o destróier  USS John S. McCain conduz operações de rotina em andamento em apoio à estabilidade e segurança para um Indo-Pacífico livre e aberto, no Estreito de Taiwan
    © AP Photo / Especialista de Comunicação em Massa de 2ª Classe Markus Castaneda
    Militar observa o horizonte na casa do piloto enquanto o destróier USS John S. McCain conduz operações de rotina em andamento em apoio à estabilidade e segurança para um Indo-Pacífico livre e aberto, no Estreito de Taiwan

    Grupo para conter a China

    O objetivo do Quad seria manter o Indo-Pacífico "livre e aberto", mas especialistas afirmam que hoje é perceptível que a prioridade desta aliança é a contenção do poder crescente da China na região.

    Em março, durante encontro de liderança dos membros da Quad, o grupo se comprometeu a "combater ameaças tanto no Indo-Pacífico quanto além" e acrescentaram em declaração conjunta apoio ao Estado de direito, liberdade de navegação e sobrevoo, resolução pacífica de disputas, valores democráticos e integridade territorial.

    A China caracteriza o Quad como um mecanismo para conter a ascensão chinesa global. Zhao Lijian, ministro das Relações Exteriores chinês, acusou o quarteto de se dedicar à sabotagem dos interesses da China.

    Mais:

    EUA e aliados do Quad estariam planejando conter China no fornecimento de vacinas contra COVID-19
    Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos
    Destruir relações com Rússia e China custará US$ 715 bilhões aos EUA, adverte Moscou
    EUA enviam porta-aviões ao mar do Sul da China em meio a tensões entre Pequim e Manila
    Tags:
    Indo-Pacífico, Japão, Austrália, Reino Unido, China, Coreia do Sul, EUA, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar