04:34 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2114
    Nos siga no

    Recentemente, a China passou uma lei que confere à sua guarda costeira o poder de demolir construções estrangeiras em plataformas marinhas chinesas, bem como de utilizar armas contra embarcações internacionais.

    De igual modo, está estipulado que a Guarda Costeira chinesa também terá o direito de embarcar, investigar, deter e expulsar as mesmas embarcações, tal como prender indivíduos que sejam suspeitos de violar seriamente as leis chinesas em águas sob jurisdição do gigante asiático, segundo consta no South China Morning Post.

    Medidas relacionadas a antiterrorismo, investigação de contrabando e outros atos criminosos, proteção do ambiente marítimo, vigilância a exploração de recursos por outras embarcações, supervisão de atividade pesqueira, e missões de resgate e salvamento, também serão incluídas.

    O documento foi publicado para revisão pública na quarta-feira (4) na página on-line do Congresso Nacional do Povo. É esperado que a lei seja aprovada durante futuras sessões do corpo legislativo.

    Soldados filipinos apontam em um navio chinês da Guarda Costeira perto das Ilhas Spratly, no mar do Sul da China
    © REUTERS / Erik De Castro
    Soldados filipinos apontam em um navio chinês da Guarda Costeira perto das Ilhas Spratly, no mar do Sul da China
    Se for aprovada, esta nova lei vai refletir claramente o papel da Guarda Costeira da China nos campos de lei marítima, lei administrativa, investigação criminal, e cooperação internacional. Adicionalmente, também regulará o uso de equipamento e armamento policial, bem como definir os limites à autoridade, e os procedimentos a serem seguidos.

    Até lá, as autoridades já emitiram aviso de que "aqueles que não parem com suas atividades ilegais, ou se recusem a fazer retificações dentre do tempo limite", terão suas estruturas "desmanteladas em concordância com a lei".

    Desde 2013, ano de seu restabelecimento, a Guarda Costeira chinesa tem vindo a tomar parte em conflitos com outras entidades que também disputam os mares do Leste e Sul da China.

    Chen Xiangmao, investigador do Instituto Nacional de Estudos do Mar do Sul da China, acredita que esta nova lei definirá um padrão de operação da guarda costeira nacional, bem como criar um "regulamento transparente" a nível interno, citado pelo South China Morning Post.

    Porém, o chefe da Marinha dos EUA, John Richardson, teme que possa haver um uso de força desnecessária e perigosa por parte da Guarda Costeira chinesa, já tinha declarado que as forças sob seu comando não fariam distinção no tratamento da Guarda Costeira chinesa e da Marinha do Exército de Libertação do Povo, de acordo com o Financial Times.

    Chen, por outro lado, afirma que a natureza desta lei é puramente civil e não militar, pelo que vai haver controle de uso de força por parte da guarda costeira.

    Mais:

    Tratado para Proibição das Armas Nucleares não é causa, mas sintoma de discórdias, diz especialista
    China ameaça dar 'golpe devastador' àqueles que 'tentarem dividir seu território'
    Coreia do Norte teria minado áreas na fronteira com China para prevenir entrada da COVID-19
    Tags:
    tensão geopolítica, Segurança, Mar do Sul da China, Guarda Costeira, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar