22:10 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (63)
    2120
    Nos siga no

    Reeleição da primeira-ministra é um marco para o Partido Trabalhista, que passa a controlar 64 dos 120 assentos do congresso da Nova Zelândia.

    A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, foi reeleita para o cargo neste sábado (17).

    "A Nova Zelândia demonstrou o mais forte apoio ao Partido Trabalhista em pelo menos 50 anos", disse Jacinda Ardern em discurso em Auckland, após a vitória.

    O resultado do pleito foi reconhecido pela líder da oposição conservadora, Judith Collins.

    "Parabéns à primeira-ministra Jacinda Ardern, para quem telefonei, porque penso que estes são resultados extraordinários para o Partido Trabalhista", afirmou Collins.

    Com a vitória, os Trabalhistas levaram 64 dos 120 assentos do parlamento da Nova Zelândia.

    Seu principal concorrente, o Partido Nacional, ficou com 26% das cadeiras, o que corresponde a 35 deputados.

    Esse já é o maior apoio que um partido conquistou em eleições no país desde 1996, quando o atual sistema de votação proporcional foi implantado.

    A votação deste sábado (17) estava originalmente planejada para setembro. Porém, precisou ser adiada em função de um surto de COVID-19 em Auckland.

    Estima-se que 60% da população entregaram o seu voto antes do dia da eleição.

    Exemplo contra COVID-19

    A popularidade de Jacinda Ardern entre os neozelandeses cresceu nos últimos meses em razão do modo como ela lidou com a pandemia de coronavírus.

    O país registrou pouco mais de 1,8 mil casos confirmados, e apenas 25 mortes por complicações do vírus.

    Tema:
    Mundo enfrenta COVID-19 em meados de outubro (63)

    Mais:

    Nova Zelândia se encontra em cima de enorme bolha de lava, segundo pesquisa
    Ave quebra recorde mundial ao voar do Alasca à Nova Zelândia sem pausas
    Tags:
    COVID-19, trabalhistas, vitória, eleição, Jacinda Adern, Nova Zelândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar