04:31 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 e o mundo no início de maio (100)
    280
    Nos siga no

    Pela primeira vez desde 16 de março, a Nova Zelândia não registrou nenhum novo caso da COVID-19, informou nesta segunda-feira (4) o Ministério da Saúde. 

    O país adotou medidas rigorosas de isolamento social, fechamento de fronteiras e proibição de comércio para conter a pandemia do novo coronavírus. 

    O ministro da Saúde, Ashley Bloomfield, disse que os dados são animadores e devem ser celebrados, mas que é preciso esperar até o final desta semana para verificar se novos casos vão surgir. Além disso, ele alertou a população a manter o distanciamento social

    'Simbólico dos esforços que todos fizeram'

    "É simbólico do esforço que todos fizeram", disse, segundo publicado pela agência Reuters. "Esse é o primeiro dia que não tivemos novos casos e queremos continuar nesse caminho", acrescentou. 

    O confinamento na Nova Zelândia foi flexibilizado na semana passada, permitindo uma reabertura parcial da economia. No entanto, muitas restrições permanecem em vigor, com alguns negócios fechados e escolas sem aulas. 

    O país registra até o momento 1.487 casos confirmados e prováveis. No último boletim, um caso que já estava entre os prováveis passou para confirmados, que somam até o momento 1.137. O número de mortes pela COVID-19 é de 20. 

    A Nova Zelândia está ao lado de alguns países que por enquanto obtiveram sucesso em conter a disseminação descontrolada do vírus, como, por exemplo, a Argentina e a Coreia do Sul. 

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 e o mundo no início de maio (100)

    Mais:

    Especialista explica por que nenhuma vacina conseguirá parar o coronavírus
    México confirma mais de 22 mil casos de coronavírus
    Serviços de inteligência ocidentais acusam a China de esconder e destruir dados sobre o coronavírus
    Tags:
    economia, Argentina, quarentena, Oceania, Nova Zelândia, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar