18:34 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 912
    Nos siga no

    As relações fronteiriças entre Pequim e Nova Deli têm sido tradicionalmente difíceis, agora ocorre uma nova escalada apesar da recente trégua anunciada entre os dois países.

    A China deslocou milhares de tropas, unidades de artilharia e veículos blindados para uma nova área do norte de Ladakh, região de que disputa a soberania com Nova Deli. Confirmando o destacamento de tropas chinês, um artigo no diário Hindustan Times afirmou que, além das tropas, eles têm helicópteros de ataque e veículos blindados para combater qualquer eventualidade na região.

    A mídia acrescentou que, nas últimas duas semanas, a presença do Exército de Libertação do Povo (PLA) aumentou na região, que fica a 21 quilômetros de um posto do Exército da Índia em Dapsang, a sudeste de Daulat Beg Oldi. Daulat Beg Oldi fica muito perto do desfiladeiro de Karakoram, que separa a Região Autônoma de Xinjiang, na China, de Ladakh, Índia.

    Segundo a fonte, veículos militares pesados e cerca de 10.000 soldados chineses chegaram às planícies de Dapsang. Além disso, algumas dessas tropas e veículos se moveram para um lugar chamado Y-junction, onde o PLA tinha erguido barracas em abril de 2013, que foram posteriormente removidas após um impasse de três semanas.

    Logo após o impasse de abril de 2013, a Força Aérea da Índia pousou um avião de transporte C-130J Super Hercules na pista de Daulat Beg Oldi, reativada após quatro décadas em Ladakh, próximo à Linha de Controle Real (LAC), a linha de demarcação comum entre os dois países.

    A Índia também criou uma nova base de patrulhamento para parar qualquer tentativa pelos militares chineses de mudar o status quo na região entendido como tal.

    A mídia indiana acrescentou que a Índia não testemunhou até agora nenhum movimento no lado chinês dos estados indianos do norte Arunachal Pradesh e Uttarakhand.

    Na quarta-feira (24), diplomatas seniores indianos e chineses se reuniram através de uma videoconferência e concordaram em "implementar o entendimento sobre afastamento e desescalada que foi alcançado pelos comandantes seniores em 6 de junho".

    No entanto, imagens de satélite de segunda-feira (22) sugeriram que foi reconstruído um posto de observação chinês destruído pelo exército indiano em 15 de junho durante um violento confronto em Galwan.

    Relações Índia-China

    O Exército da Índia tinha anunciado na terça-feira (23) que chegou a um consenso com o PLA para se retirar do vale de Galwan e Pangong Tso. Fontes do Exército disseram que o processo de afastamento começou na quarta-feira (24) à noite.

    Os conflitos fronteiriços são eventos recorrentes nas relações sino-indianas devido à falta de demarcações claras ao longo da fronteira de 4.057 quilômetros. No entanto, o confronto de 15 de junho no vale de Galwan foi o primeiro a testemunhar um número tão elevado de vítimas. A Índia alegou ter perdido 20 soldados, enquanto a China ainda não confirmou o número de baixas de seu lado.

    Mais:

    China chama de 'fake news' relato da Índia sobre dezenas de soldados mortos na fronteira
    China e Índia chegam a consenso para resolver conflitos armados em Ladakh
    Ponte colapsa deixando 2 pessoas feridas na Índia próximo à fronteira com China (VÍDEO)
    Após mortes de soldados, ministro da Índia prega boicote a todos os produtos da China
    Tags:
    Exército da Índia, Uttarakhand, Arunachal Pradesh, Exército de Libertação do Povo, Ladakh, Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar