21:19 04 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    690
    Nos siga no

    Procuradores chineses consideram que, assim como a negligência na aplicação de medidas preventivas e especulação com preços, a desinformação constitui um delito grave na luta contra a epidemia.

    A Procuradoria Popular de Pequim anunciou nesta quinta-feira (30) que perseguirá vários delitos que possam prejudicar a luta contra a epidemia de coronavírus e dessa forma sabotar os esforços do governo na erradicação do surto.

    Em um texto publicado no jornal oficial Beijing Ribao, noticia-se que os procuradores da capital chinesa "castigarão severamente" crimes como ocultação de informação ou difusão de relatos falsos sobre a epidemia, a negligência na aplicação das medidas preventivas ou a subida especulativa de preços.

    Todas estas infrações à lei passarão a ser tratadas como "delitos graves", acrescenta o jornal.

    Tem havido por parte de alguns comerciantes, por exemplo, aproveitamento da desgraça alheia, com a subida desmesurada e especulativa de bens de primeira necessidade.

    Segundo os dados mais recentes, o vírus que teve início na cidade chinesa de Wuhan, já levou 170 vidas, tendo o número de infectados atingido a cifra de 7.711.

    De acordo com a DXY – rede social dos médicos chineses, 111 das infecções foram registradas na capital, Pequim.

    Mais:

    Número de mortes de novo coronavírus na China sobe para 170 pessoas
    China adia partidas de liga nacional de futebol devido ao coronavírus
    China punirá cidadãos contaminados que transmitirem coronavírus intencionalmente
    Tags:
    boatos, justiça criminal, China, epidemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar