14:06 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeiras da China e dos EUA

    China revela como pretende resolver guerra comercial com os EUA

    © AP Photo / Andy Wong
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9241
    Nos siga no

    A China espera resolver sua disputa comercial com os Estados Unidos "com uma atitude calma e racional", afirmou o vice-ministro do Comércio da Ásia, Wang Shouwen, duas semanas após o início de uma nova rodada de negociações entre as partes.

    Washington e Pequim estão em guerra comercial há mais de um ano, com impostos recíprocos de bilhões de dólares sobre os ativos uns dos outros. O confronto entre as maiores economias do mundo agitou os mercados financeiros e ameaçou o crescimento global.

    Uma nova rodada de diálogos de altos funcionários de ambos os lados ocorrerá na capital dos EUA entre 10 e 11 de outubro, liderada pelo lado chinês pelo principal assessor econômico do presidente Xi Jinping, o vice-primeiro-ministro Liu He.

    Wang, que fez parte da equipe de negociação da China no conflito, disse em entrevista coletiva que Liu viajará a Washington para participar das negociações que ocorrerão na semana seguinte às festividades do Dia Nacional Chinês, que terminam em 7 de outubro.

    O vice-ministro de Comércio chinês disse que seu país espera encontrar maneiras de resolver suas diferenças com Washington.

    "Acreditamos que isso beneficiará as pessoas dos países e do mundo", acrescentou.

    O governo do presidente estadunidense Donald Trump estaria considerando novas e radicais táticas de pressão financeira sobre Pequim, incluindo a possibilidade de excluir empresas chinesas das bolsas de valores locais.

    Fontes declararam na sexta-feira que a medida seria parte de um esforço mais amplo para limitar os investimentos americanos em empresas chinesas, em meio a crescentes preocupações de segurança sobre suas atividades.

    Mais:

    Leilão de tecnologia 5G deixa Brasil no cabo de guerra entre EUA e China
    Novo drone chinês capaz de 'atingir EUA' está prestes a ser revelado
    China afirma ter 'provas contundentes' da interferência dos EUA em Hong Kong
    Tags:
    relações bilaterais, diplomacia, guerra comercial, tarifas, economia, comércio, Xi Jinping, Donald Trump, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar