15:17 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Aldeia de Jenderes, no cantão de Afrin, no norte da Síria, após bombardeamento de aeronaves e artilharia pelas forças armadas turcas.

    Síria acusa Turquia de violar acordo de 1998 e demanda saída de terras fronteiriças

    © Sputnik /
    Ásia e Oceania
    URL curta
    130

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, lembrou recentemente o acordo de Adana com Damasco, dizendo que o texto permite que tropas da Turquia entrem na Síria em casos de ameaça.

    O acordo foi assinado em 1998 para evitar uma guerra. Na ocasião, a Turquia ameaçou entrar em guerra com a Síria por considerar que o Estado vinha abrigando militantes curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização considerada terrorista por Ancara. Para evitar uma invasão, ambos os países se comprometeram a desescalar o conflito e trabalharem juntos para desmantelar ações de terrorismo.

    O Ministério das Relações Exteriores da Síria reagiu à recente declaração de Erdogan sobre o acordo de Adana em 1998. Damasco acusou a Turquia de violar o acordo desde 2011 apoiando terroristas e ocupando territórios sírios, informou a SANA.

    "A Síria confirma que está em conformidade com o Acordo Interestadual de Adana sobre Combate ao Terrorismo em todas as suas formas e todos os acordos relacionados a ele, mas o regime turco vem violando o acordo desde 2011 patrocinando e apoiando o terrorismo, treinando militantes e tornando mais fácil para eles ir para a região, seja através da ocupação de territórios sírios com grupos terroristas, ou diretamente com a ajuda das Forças Armadas Turcas", afirmou uma fonte do ministério.

    O ministério convocou Ancara a "ativar" o acordo de 1998, deixando os territórios fronteiriços com a Turquia como estavam antes do início da guerra em 2011.

    As tensões relativas ao acordo de Adana se intensificaram recentemente, com a Turquia considerando uma nova operação contra áreas curdas da Síria após o sucesso militar em Afrin.

    Damasco está negociando com os curdos, que buscam apoio em meio aos planos militares de Ancara. Erdogan, por sua vez, enfatizou recentemente que a Turquia deveria ter controle "no campo" e não está aberta a outras sugestões.

    Antes disso, Recep Tayyip Erdogan anunciou que o Exército turco estava pronto para iniciar uma ofensiva contra as forças curdas na margem oriental do Eufrates. No entanto, após conversas com o presidente dos EUA, Donald Trump, que informou seu colega turco sobre os planos de retirada das tropas norte-americanas da Síria, Erdogan arquivou seus planos, dizendo que a ofensiva só seria lançada após a retirada total das forças norte-americanas.

    Tags:
    Acordo Interestadual de Adana sobre Combate ao Terrorismo, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Ministério das Relações Exteriores da Síria, Recep Tayyip Erdogan, Eufrates, Afrin, Turquia, Síria, Ancara
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar