19:15 15 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Ataque a sistemas globais de TI (foto de referência)

    Mídia: China pode explorar nova 'Rota da Seda' para espionagem de países na Eurásia

    © Sputnik / Kirill Kallinikov
    Ásia e Oceania
    URL curta
    417

    A empresa norte-americana de segurança cibernética FireEye acredita que a China está usando sua iniciativa "Um Cinturão, Uma Rota" para espionar empresas e governos estrangeiros, informou o Financial Times nesta quarta-feira.

    De acordo com o Financial Times, a ciberatividade de Pequim tem como alvos principais a Bielorrússia, as Maldivas, o Camboja, os ministérios das Relações Exteriores europeus e organizações não-governamentais.

    "Eles parecem estar interessados ​​em países onde há muito dinheiro em jogo para eles ou onde políticas estão sendo criadas que afetariam projetos futuros", disse a vice-presidente da FireEye, Sandra Joyce ao jornal.

    Citando a consultora de pesquisa do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS), Samantha Hoffman, o FT afirma que a China está usando plataformas de comércio eletrônico, redes de telecomunicações, empresas e hotéis estrangeiros para coletar informações para controlar "o debate e ideias… que tem segurança específica e consequências diplomáticas ”.

    A Iniciativa "Um Cinturão, Uma Rota" foi anunciada pela primeira vez pelo presidente chinês Xi Jinping em 2013. O objetivo é desenvolver infraestrutura e fortalecer os laços entre os países da Eurásia, bem como com a África, Oceania e outras regiões próximas, com foco em uma espécie de "Rota da Seda" moderna.

    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores, Financial Times, FireEye, Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS), Xi Jinping, Samantha Hoffman, Sandra Joyce, Oceania, África, Eurásia, Maldivas, Bielorrússia, Camboja
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik