21:20 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    117
    Nos siga no

    A empresa norte-americana de segurança cibernética FireEye acredita que a China está usando sua iniciativa "Um Cinturão, Uma Rota" para espionar empresas e governos estrangeiros, informou o Financial Times nesta quarta-feira.

    De acordo com o Financial Times, a ciberatividade de Pequim tem como alvos principais a Bielorrússia, as Maldivas, o Camboja, os ministérios das Relações Exteriores europeus e organizações não-governamentais.

    "Eles parecem estar interessados ​​em países onde há muito dinheiro em jogo para eles ou onde políticas estão sendo criadas que afetariam projetos futuros", disse a vice-presidente da FireEye, Sandra Joyce ao jornal.

    Citando a consultora de pesquisa do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS), Samantha Hoffman, o FT afirma que a China está usando plataformas de comércio eletrônico, redes de telecomunicações, empresas e hotéis estrangeiros para coletar informações para controlar "o debate e ideias… que tem segurança específica e consequências diplomáticas ”.

    A Iniciativa "Um Cinturão, Uma Rota" foi anunciada pela primeira vez pelo presidente chinês Xi Jinping em 2013. O objetivo é desenvolver infraestrutura e fortalecer os laços entre os países da Eurásia, bem como com a África, Oceania e outras regiões próximas, com foco em uma espécie de "Rota da Seda" moderna.

    Tags:
    Camboja, Maldivas, Eurásia, África, Oceania, Sandra Joyce, Samantha Hoffman, Xi Jinping, Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS), FireEye, Financial Times, Ministério das Relações Exteriores
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar